O ex-subsecretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Gabriell Neves, foi preso nesta quinta-feira (7), junto com outras três pessoas. O grupo é suspeito de ter obtido vantagens na compra emergencial de respiradores para pacientes de Covid-19 no estado. Uma quinta pessoa era procurada até a última atualização desta reportagem.

Além de Gabriell, foram presos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil do RJ, Gustavo Borges da Silva e Aurino Batista de Souza Filho — o nome do quarto não foi divulgado.

Aurino faz parte da A2A, uma empresa de informática que ganhou contrato para fornecer respiradores — indícios de irregularidade foram mostrados pelo jornalista Rubem Berta em seu blog.

Neves foi exonerado pelo governador Wilson Witzel no dia 20 de abril por suspeita de irregularidades — os contratos questionados somaram R$ 1 bilhão, entre respiradores, máscaras e testes rápidos comprados sem licitação.

Equipes do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc/MPRJ) e da Delegacia Fazendária também cumprem 13 mandados de busca e apreensão no Município do Rio.

Fonte: Revista Forum

Tags: , ,