Brasil – A professora Taynara Cristina Silva alega ter sido vítima de racismo pela diretora de Colégio Agnes em Maceió (AL) enquanto dava aula para alunos do 3º ano do ensino médio. As informações são do Universa, do UOL.

Segundo a docente, a diretora chegou até a sala de aula dizendo que ela era culpada pelo filho, que trabalha na administração da escola, ter batido o carro por conversar com ele pelo celular. Uma aluna chegou a retrucar dizendo que ele é que estava errado por usar o telefone dirigindo. Foi então que a diretora respondeu: “A Taynara é muito ousada. Quando vocês forem a Ouro Branco (cidade no sertão de Alagoas), onde tem o melhor couro, compre um chicote do bom para eu dar uma chicotada nela para que ela relembre do tempo que ela pretende voltar”, disse.

Taynara disse que depois da repercussão da fala de cunho racista, a diretora tentou contornar a situação e pediu desculpas pela fala. A professora disse ao UOL que pretende fazer uma denúncia de assédio moral à  Justiça de Trabalho.

Diversos alunos e ex-alunos protestaram em frente à escola e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) considerou o ato como injúria racial. Em entrevista à “TV Gazeta”, o diretor da escola Matheus Oliveira disse que o colégio repudia “qualquer tipo de preconceito racial, de classe e orientação sexual” e que vai apurar o caso.