‘Cobertura vizinha à de Lula tinha que ser comprada por conhecido’, diz Okamotto - Portal CM7
 
Adsense Responsivo
Manaus, 20 de June 27 ºC Tempestades
Mercado financeiro
Dólar R$ 3.7467 0.06%
Euro R$ 4.3422 -0.02%
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / ‘Cobertura vizinha à de Lula tinha que ser comprada por conhecido’, diz Okamotto

‘Cobertura vizinha à de Lula tinha que ser comprada por conhecido’, diz Okamotto

Postado por | 07/03/2016 15:20

SÃO PAULO. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, alegou que a cobertura vizinha à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, precisava ser comprada por uma pessoa conhecida. O jornal “O Estado de S. Paulo” revelou nesta segunda-feira que o imóvel pertence ao aposentado Glaucos da Costramarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula.

– Ser vizinho de um político sempre tem transtorno. A pessoa que compra um apartamento daquele não pode ser totalmente desconhecida – disse Okamotto.

O apartamento 121 do edifício Hill House foi comprada em 2011 por Glaucos. Lula é dono do apartamento 122, mas usa o 121 desde 2003, quando assumiu a Presidência. Incialmente, o aluguel era pago pelo PT para que Lula guardasse o acervo que havia doado ao partido. Entre 2007 e 2010, o governo pagou o aluguel, com a alegação de que precisava do imóvel por questão de segurança do ex-presidente.

– Aquele imóvel de São Bernardo foi alugado na época que ele foi presidente. E o aluguel continua, só que agora quem aluga é o ex-presidente – reconheceu Okamotto.

Glaucos admitiu ao “Estado de S. Paulo” que a compra foi intermediada pelo advogado Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente. De acordo com o presidente do Instituto Lula, o comprador do apartamento vizinho ao de Lula deveria ser uma pessoa que não tivesse interesse em usá-lo.

– Ali precisava de uma pessoa que comprasse e não tivesse interesse de usar. A pessoa comprou já sabendo que estava frente a frente (com o imóvel de Lula).

Na última sexta-feira, o presidente do Instituto Lula também foi alvo da 24ª fase da Operação Lava-Jato. Okamotto foi levado par prestar depoimento na sede da Polícia Federal, na Lapa, em São Paulo.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie nas Últimas Notícias

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA

 
 
Aplicativo da Rádio CM7