Carlos Gabas diz que conhece Alexandre Romano, mas nega ter recebido propina - Portal CM7
 
Manaus, 14 de dezembro 27 ºC Tempestades isoladas
Mercado financeiro
DólarR$ 3,3427 0,81%
EuroR$ 3,943 0,73%
 
 
Home / Últimas Notícias / Brasil / Carlos Gabas diz que conhece Alexandre Romano, mas nega ter recebido propina

Carlos Gabas diz que conhece Alexandre Romano, mas nega ter recebido propina

Da redação | 23/06/2016 13:50

BRASÍLIA — O ex-ministro da Previdência Carlos Gabas afirmou ao GLOBO que conhece o ex-vereador petista Alexandre Romano, mas negou ter recebido dele dinheiro fruto de um esquema de desvio de verbas no Ministério do Planejamento. O ex-ministro Paulo Bernardo foi preso na manhã desta quarta-feira pela Polícia Federal. Segundo Gabas, ele e Romano se encontraram várias vezes, sobretudo quando o ex-vereador viajava a Brasília.

— Na delação dele (Romano), ele supõe que eu seria beneficiário do esquema (que recebia dinheiro). Quero que ele diga como, de que jeito? — disse o ex-ministro.

A Polícia Federal apreendeu dois celulares, um iPad e um notebook na casa do ex-ministro da Previdência Social Carlos Gabas na manhã desta quinta-feira. O ex-ministro foi chamado para depor sobre as supostas relações dele com Romano, mas preferiu ficar calado e só comparecer à Polícia Federal num outro momento. Segundo Gabas, o mandado expedido pela Justiça Federal em São Paulo dava duas opções, depor ou permanecer em silêncio.

— Existe um mandado para eu depor ou ficar calado. Optei por depor, mas com minha advogada. Disse (para a polícia) que quero falar com o delegado. Pode marcar data e horário — disse Gabas ao GLOBO.

Mais cedo, a polícia chegou a informar que o ex-ministro seria levado para depor. Ele está entre os investigados obrigados a prestar depoimento, conforme decisão judicial. Mas o o mandado, conforme o ex-ministro, permitia também que, se quisesse, ele poderia ficar calado.

Quatro policiais, um procurador e dois fiscais da Receita Federal chegaram à casa de Gabas, no Lago Norte, por volta das 6h. Além dos computadores e dos celulares, os investigadores apreenderam escrituras de dois apartamentos de Gabas, um em São Paulo e outro em Taguatinga.

— Eles (investigadores) foram muito educados. Perguntaram se eu tinha valores, eu disse que não. Então vasculharam a casa toda — disse Gabas.

{{post.date}}

 


Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA

  Colunistas

 

  Últimas Notícias