Em coletiva na saída do Palácio da Alvorada nesta segunda-feira (27), junto com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro Paulo Guedes falou sobre o momento da economia brasileira diante da pandemia de Covid-19 e mostrou otimismo com o futuro das finanças. Segundo ele, o Brasil terá um 2021 positivo após o surto de coronavírus.

– Ano que vem já vamos estar, certamente, crescendo com investimentos em saneamento, petróleo e gás, infraestrutura, logística, nós seguimos firme no nosso compromisso. Acho que a economia vai pegar em V (que representa V de vitória), nós vamos surpreender o mundo de novo – disse.

Durante a fala, o ministro da Economia também pediu o apoio dos servidores públicos para que o país possa equilibrar as contas diante do momento complicado. Segundo ele, os servidores podem fazer um “sacrifício” pelos milhões que estão perdendo emprego.

– Precisamos também que o funcionalismo público mostre que está com o Brasil, que vai fazer um sacrifício pelo Brasil, que não vai ficar em casa trancado com geladeira cheia e assistindo a crise enquanto milhões de brasileiros estão perdendo emprego. Não, eles vão colaborar. Eles vão também ficar sem pedir aumento por algum tempo. Ninguém vai tirar. E o presidente disse ‘ninguém tira direito, ninguém tira salário, ninguém encosta em nenhum direito que existe hoje – declarou.

Guedes também falou sobre o programa Pró-Brasil, que envolve investimentos do governo em áreas fortemente afetadas pela crise do coronavírus.

– O programa Pró-Brasil, na verdade, são estudos justamente na área de infraestrutura, de construção civil, são estudos adicionais para ajudar nessa arrancada de crescimento. Isso vai ser feito dentro dos programas de recuperação de estabilidade fiscal nossa – completou.