Buscando recompensar a doadora de medula que curou sua leucemia, o advogado Gabriel Massote Pereira, que mora em Uberlândia (MG), decidiu fazer uma vaquinha virtual e comprou uma casa novinha em folha para Elza dos Santos.

Elza, que mora em Ariquemes (RO), deixou tudo de lado para sair de seu estado natal e salvar a vida de Gabriel. Sem emprego, com dificuldades financeiras e deprimida após a morte do pai, a rondoniense não tinha casa própria e vivia de favor nos fundos de uma igreja com o marido e os dois filhos.

Ela não tinha muito conhecimento sobre o assunto, mas decidiu se inscrever no Redome, o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea, visando fazer uma boa ação. “Eu na época tinha meu pai de cama e sabia o quanto as pessoas sofrem quando estão doentes. Se eu um dia pudesse ajudar alguém”

E ajudou! Gabriel está completamente curado da leucemia.

Disposto a agradecer e recompensar de alguma forma sua salvadora, e ciente de suas dificuldades financeiras, o advogado uberlandense e sua esposa, Ana Gabriela, criaram uma vaquinha virtual em maio deste ano com o objetivo de dar uma casa nova à sua doadora de medula. Arrecadaram R$ 117 mil ao todo (R$ 45 mil da vaquinha).

Com o dinheiro, Elza conseguiu realizar dois sonhos: se casar e ter a casa própria!

Como forma de presentear Elza, o programa Caldeirão do Huck, da TV Globo, bancou o seu casamento.

 

Enquanto isso, com a ajuda de todas as doações da vaquinha online, Gabriel comprou uma casa para Elza no município de Ji-Paraná, Rondônia, onde ela já morava.

“Quando a gente verificou que o nosso rendimento (no The Wall) não foi o esperado, a gente decidiu criar uma vaquinha online para poder acudir também o outro sonho da Elza. No programa, criamos muitas expectativas em relação a poder dar uma melhor condição de vida para a Elza e a família”, lembra Gabriel.

“E como a história mexeu com tantas pessoas, decidimos criar essa vaquinha. Foi uma campanha de pouco mais de 90 dias, em que 465 brasileiros se uniram nessa missão de dar a ela algo que, para ela, era muito caro, que era ter um lar. A Elza já morou à beira de rodovia. Agora, ela fala para mim: ‘Gabriel, hoje eu moro em uma mansão’”, conta.

O advogado também montou um salão de beleza no fundo da casa de Elza para ela ter uma renda extra. Mais: arrumou um curso de manicure para a doadora, e também conseguiu pagar um tratamento dentário para ela.

No último sábado (19), o rapaz e sua esposa inauguraram a casa nova de Elza.

“Ela, o marido, os filhos e a comunidade se empenharam em fazer a reforma da casa. Foi muito lindo vê-los cuidando daquilo que, a partir de hoje, é deles. Viajei achando que ia entregar uma casa e, quando cheguei lá, encontrei um lar recheado de Deus, carinho afeto e cuidado. Através da história da Elza, eu, como ser humano, aprendi muito mais do que em qualquer universidade“, explica.

Fonte Razões para Acreditar