A polícia confirma que corpos ao lado de bilhete são de estupradores de universitária
Manaus - Amazonas - 10:17
23 de Julho de 2019

C/S PI 5577 - EFTIVAÇÃO DE MIDIA/BANNER / CAMPANHA NOVAS MEDIDAS - FASE I / SECOM / PORTAL CM7


A polícia confirma que corpos ao lado de bilhete são de estupradores de universitária


Para alegria do Brasil, menos para os direitos humanos que insistem em defender bandidos e estupradores, exigindo direitos e garantias, a Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu, nesta quarta-feira (8), que os corpos de dois homens achados ao lado de um bilhete, na última semana, na cidade de Cabo Frio, no Rio de janeiro, são os dos estupradores da estudante de psicologia Andreza Nascimento, de 21 anos. A jovem foi sequestrada e abusada sexualmente por mais de quatro horas.

Os corpos, que tinham marcas de tiros e de tortura, foram achados, no último sábado (4), ao lado de um bilhete com a frase “Tha ai os 2 que estuprou a mulher Andresa (sic)”. A vítima fez o reconhecimento dos cadáveres, na segunda-feira (6), mesmo dia em que a polícia conseguiu imagens de câmeras de segurança que auxiliaram nas investigações.

As imagens mostram nitidamente o momento em que dois dos homens assaltam um restaurante e pedestres no município enquanto mantinham Andreza Nascimento, de 21 anos, refém.

Há um terceiro suspeito de envolvimento no crime que é procurado pela polícia.

Quatro horas de terror

A universitária e um amigo, que estava de carro, foram abordados por três homens, um deles armado, na porta da casa dela, no bairro Vinhateiro, em São Pedro da Aldeia, entre a noite da última quinta-feira (2) e a madrugada de sexta-feira (3).

A universitária relatou, nas redes sociais, ter sido violentada por quatro horas.

“Pensei muito em vir aqui me expor, mas sei que assim vou poder ajudar mais vítimas… Me estupraram durante quatro horas dentro do carro em andamento, com a arma na minha cabeça, arma no meu corpo, tudo que vocês possam imaginar”, relatou em postagem.

De acordo com o registro feito na delegacia, antes do estupro, o amigo da vítima foi obrigado a dirigir até uma rua de pouca movimentação no Porto do Carro. Lá, ele foi colocado no porta-mala após levar coronhadas..

Após ser violentada, Andreza também foi colocada no porta-malas e os homens ameaçaram botar fogo no veículo. Ela e o amigo conseguiram forçar e abrir o trinco, e encontraram policiais a poucos metros, para quem pediram ajuda.

(Com informações do portal Camaçari Notícias)

Deixe seu like:

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA