Manaus/AM – A juíza federal Ana Paula Serizawa condenou seis réus da operação Maus Caminhos pelo desvio de R$ 1,3 milhão da saúde do Amazonas, conforme decisão tomada na última terça-feira (5). Os desvios ocorreram no contrato entre o Instituto Novos Caminhos (INC) com a empresa Salvare, que supostamente seria para instalação de software hospital no Centro de Reabilitação em Dependência Química (CRDQ), localizado na zona rural de Manaus.

O suposto contrato nunca foi cumprido, mas ocorreram cerca de 17 transferências de recursos federais da saúde que foram desviados entre novembro de 2014 a maio de 2016. Conforme a decisão da juíza, o esquema tinha o objetivo de enriquecer o médico Mouhamad Moustafá, sócio da empresa Salvare e do INC, apontado como líder da organização criminosa que culminou na operação Maus Caminhos.

*Mais informações em instantes