Mundo – Embora haja 5,7 mil novos casos registrados de pessoas infectadas pelo coronavírus na Alemanha, o país apresenta um estado menos caótico comparado à países vizinhos como Itália, Espanha e França.

Na Alemanha, cerca de 42 mil pessoas foram infectadas pela Covid-19, desses, 253 pacientes vieram à óbito. Diferente da Itália que contabiliza mais de 8 mil óbitos, em seguida a Espanha com mais de 4 mil e a França com mais de 1,6 mil  óbitos registrados.

A estratégia usada pela Alemanha para diminuir a transmissão do coronavírus e de outras infecções mais leves, e que poderiam passar despercebidas, é a identificação rápida das doenças, podendo assim isolar os pacientes contaminados antes que transmitem para outras pessoas. Esse controle só é possível devido a grande quantidade de exames realizados no país.

O Robert Koch Institute (RKI) recomendou testes gerais muito cedo, a fim de detectar casos o mais rápido possível e diminuir a propagação. Provavelmente, é por isso que começamos a ver os casos muito cedo”, explica à BBC News Brasil, uma porta-voz da agência do Ministério da Saúde alemão responsável pelo controle de doenças no país.

Testes em escala

Segundo a Kassenärztliche Bundesvereinigung (Associação Nacional de Médicos Estatutários de Seguros de Saúde da Alemanha), na semana de 9 de março, foram realizados 100 mil exames para identificar a presença da covid-19. Na semana anterior, foram 35 mil. Esses dados são apenas do sistema ambulatorial e não incluem informações de hospitais. Ou seja, os números provavelmente são maiores.

Exames em larga escala têm sido conduzidos em outros países. A Coreia do Sul, onde o índice de mortalidade também é baixo (1,1% contra 0,4% da Alemanha), já realizou mais de 338 mil testes, de acordo com o governo local. Essa abordagem tende a identificar casos mais cedo, permitindo que os infectados sejam isolados rapidamente.

Fonte: BBC News Brasil