Manaus – O prefeito Arthur Virgílio Neto assinou um novo decreto de Situação de Emergência pela continuidade ao trabalho de enfrentamento ao sarampo em Manaus. O decreto foi publicado na edição 4507 do Diário Oficial do Município (DOM) de sexta-feira, 28/12, mantendo a cidade em Situação de Emergência por mais 180 dias.

“Completamos um mês sem registro de novos casos de sarampo, graças ao nosso reforço intenso de imunizar crianças, jovens e adultos, não apenas nas Unidades Básicas de Saúde, mas também nas casas, escolas, igrejas e locais de grande movimento. Mesmo assim, optamos em manter por mais seis meses essas ações para que possamos erradicar novamente essa doença de Manaus”, declarou o prefeito.

O secretário municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, explica que o primeiro decreto de Situação de Emergência, publicado no dia 03 de julho, com validade de 180 dias, foi uma das medidas executadas pela Prefeitura de Manaus para combater a doença, permitindo agilizar as ações de prevenção e controle do surto de sarampo.

“A Secretaria Municipal de Saúde solicitou a manutenção da Situação de Emergência considerando que, apesar da redução no número de casos notificados da doença nos últimos meses, o vírus continua circulando no município, ainda com registros de novos casos suspeitos. Então, é preciso manter o alerta máximo para garantir a quebra da cadeia de transmissão”, informa Magaldi, destacando que entre 16 e 22 de dezembro, foram notificados apenas dois novos casos suspeitos.

O decreto também leva em consideração o fato de que, mesmo após a intensificação de vacinação e realização de campanha para a população de seis meses a cinco anos, que alcançou uma meta de cobertura de 103%, os casos suspeitos de sarampo nessa faixa etária ainda estão sendo registrados.

“As crianças de até cinco anos fazem parte do grupo de maior risco para desenvolver complicações graves pelo sarampo e por isso é importante continuar a intensificação de vacinação nessa faixa etária, realizando busca ativa no caso de crianças que ainda não se vacinaram ou não completaram o esquema vacinal recomendado”, alerta Magaldi.

Certificação

A assinatura do novo decreto segue ainda a recomendação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e leva em conta a necessidade de eliminação do surto de sarampo em Manaus para assegurar a manutenção da certificação do Brasil e das Américas Livre do Sarampo.

O encerramento do surto só pode ser declarado após a ausência de confirmação de casos por um período de no mínimo 90 dias, sendo que o último caso confirmado de sarampo no município foi registrado no dia 22 de novembro.

Casos

O 42º Informe Epidemiológico de Monitoramento de Casos de Sarampo, divulgado pela Semsa na última segunda-feira, 24/12, aponta que, desde fevereiro, Manaus registra 8.977 notificações de sarampo. Desse total, 7.297 são casos confirmados, 1.668 descartados após investigação e 12 casos ainda em investigação (aguardando resultado laboratorial).

Em Manaus, a vacina tríplice viral, que imuniza contra sarampo, rubéola e caxumba, é recomendada para pessoas na faixa etária de seis meses a 49 anos, e está disponível em 183 salas de vacina do município de Manaus. A lista com o endereço das Salas de Vacina pode ser acessada no site da Semsa.