Manaus – A baixa atividade física nas rotinas diárias causa aumento de doenças cardiovasculares, osteomusculares, neurológicas, obesidade, e Manaus lidera, ao lado de Cuiabá, entre as capitais brasileiras, em frequência de homens adultos obesos, com 23% da população. O professor de Educação Física do Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas), Clemilson Oliveira, explica que o índice é resultado da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde, divulgada em 25 de julho. Manaus também se destaca pela prática insuficiente de atividade física entre os homens (37,1%).

A Vigitel destacou que a taxa de obesidade no país passou de 11,8% para 19,8% entre 2006 e 2018. A capital com menor índice de obesidade foi São Luís, com 15,7%, e Manaus tem a maior taxa, com 23% de prevalência. O estudo mostra que, no período, houve alta do índice de obesidade em duas faixas etárias: pessoas com idade que variam entre 25 a 34 anos e de 35 a 44 anos. Nesses grupos, o indicador subiu, respectivamente, 84,2% e 81,1% ante 67,8% de aumento na população em geral.

Professor no SESI há mais de nove anos, Clemilson Oliveira aponta a prática da natação como uma das soluções para a diminuição da obesidade e também para melhoria na qualidade de vida, principalmente dos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM), que possuem poucas horas livres e uma exigência laboral elevada, tanto no aspecto físico, quanto no cognitivo e psicológico. Essa rotina, incluindo a prática de natação por três vezes na semana, permite ao trabalhador alcançar pelo menos os 150 minutos semanais de atividades de intensidade moderada, recomendados pelo Ministério da Saúde. Manaus (com 37,1%) é a segunda capital brasileira com prática insuficiente de atividade física entre homens, atrás apenas de Recife (38%). Em Manaus, a prática insuficiente de atividade física entre as mulheres atinge 53,2%, atrás de Rio Branco e Rio de Janeiro (53,6%), João Pessoa (55,0%) e São Luiz (55,6%).

Prática do esporte para saúde

Para o ferramenteiro da empresa Masa Molds & Plastics, José Ribamar da Silva Rodrigues, 53 anos, nada melhor do que se exercitar e ainda relaxar fazendo o que gosta. “Trabalhava muito, sem tempo para me exercitar, mas vi que o esporte seria importante para manter minha saúde, e foi o que fiz, retornei para a prática da natação e hoje me sinto desafiado a melhorar cada vez mais e cuidar de mim”, disse o industriário. Rodrigues começou suas atividades no SESI Clube do Trabalhador há 20 anos na modalidade natação, por motivos de saúde. O industriário procurou o SESI por apresentar obesidade em seus exames e por ter predisposição para diabetes que, de acordo com ele, vem pelo histórico da doença na família (avós e bisavós). O industriário afirma que o SESI tem tudo que precisa para estar em dia com a saúde, como piscina, pista de corrida e academia, que utiliza para fortalecer os músculos e manter a qualidade de vida.

Além de natação, Rodrigues passou a competir também na modalidade triatlo, composta por natação, corrida e bike, fazendo com que se esforce igualmente nas três atividades. Para isso, o atleta treina natação e musculação, durante toda a semana no SESI e, aos domingos, aproveita para realizar suas atividades em locais abertos, utilizados para os campeonatos em Manaus, como a Ponta Negra, sempre com orientação e acompanhamento do professor.

“O acompanhamento do professor é essencial para alcançar um resultado favorável nas competições, fora que não é toda academia que nos disponibiliza professor para acompanhar o nosso desenvolvimento fora da academia. Tive vários professores, mas o que tenho agora não tem comparação em relação aos demais que já tive”, disse o atleta que também recebe o acompanhamento do professor nos dias de prova.

 

Aulas de natação no SESI

O professor explica que os alunos de natação do SESI são ensinados e acompanhados por profissionais de Educação Física. Os alunos de iniciação passam por avaliações mensais para mudar de nível. O treinamento começa na piscina infantil e vai até a piscina olímpica. Os alunos que participam de competição (Atletas de Piscina, Maratona Aquática, Triatlo) recebem treinos diários, com acompanhamento constante. “Estes realizam avaliação física em períodos de três meses. Temos também clientes que não participam de competições, porém treinam agravados aos atletas, pois visam melhoria na qualidade de vida”, explica o professor. Oliveira aconselha a todos, que buscam realizar atividades físicas, que passem, primeiramente, por uma avaliação médica para verificar se possui alguma restrição médica para a realização da atividade física desejada. Posteriormente, é recomendável que o aluno consulte também um nutricionista.

Como sugestão, Oliveira indica que o aluno faça a atividade física que o motive ou com a qual se identifique, pois assim a dedicação e a continuidade em tal atividade serão maiores. “A melhor atividade física é aquela com sua identidade”, diz o professor. O funcionamento da Central de Atendimento do CTAM é de segunda a sexta, das 7h15 às 20h15, e aos sábados, das 9h às 12h. Para mais informações, ligar para os números 3248-0468 ou 3216-1030.