Martelotte evita conversar com Marcelinho após incômodo do meia: “Não costumo explicar”

Por Azevedo em 9 de junho de 2021 às 15:05 | Atualizado 9 de junho de 2021 às 15:05

Manaus (AM) – O Manaus treinou no campo pela primeira vez, nesta terça-feira, após a derrota por 5 a 0 para o Volta Redonda, no sábado, pela Série C. Antes da atividade, que foi realizada no estádio Carlos Zamith, o técnico Marcelo Martelotte chamou os jogadores para conversar a sós e não permitiu a presença da imprensa.

Na coletiva, antes de começar os treinamentos, Martelotte falou sobre o jogo e explicou o motivo de não ter levado o meia Marcelinho para o duelo contra o time carioca. A ausência causou desconforto no jogador. O treinador, entre outras palavras, disse que optou por Anderson Paraíba e Erivelton para compor o meio de campo.

– Escolha do treinador. Já no primeiro momento a gente sabe que em casa a gente pode relacionar 22 e fora a gente leva 20. Tinha treinando uma equipe durante a semana e a minha alternativa era levar o Anderson que começou jogando, o Erivelton como opção e o Douglas. Então já tinha os meias. Opção para esse jogo e não vejo nenhum problema com relação a isso – falou.

Na sexta, quando o time viajou, o ge entrou em contato com Marcelinho para saber o que tinha acontecido com o jogador, contratado para a disputa da Série C do Brasileirão. Ele disse que não estava lesionado e que não tinha entendido a escolha do técnico, mas que conversaria com Martelotte após o retorno da delegação.

Na coletiva desta terça, o técnico falou que a conversa é sempre com o grupo e não individualmente com os jogadores.

– A conversa é sempre com o grupo inteiro. Porque o que eu falo para um jogador serve para todos. Vocês mesmo acabaram de me perguntar a respeito de um jogador e ficaram oito ou nove jogadores de fora da relação, então por que só um causou estranheza? É lógico que eu posso falar pessoalmente também com o atleta, mas eu não costumo fazer isso, porque não entendo que seja um costume você ficar dando explicação a respeito das suas escolhas – ressaltou.

Eu cito muito o que eu aprendi como jogador e treinadores mais experiente passaram para mim. O jogador nunca pergunta quando ele é o escolhido, quando ele entra. Ele não pergunta o motivo da sua escalação, ele pergunta sempre o motivo da sua ausência”
— Marcelo Martelotte, técnico do Manaus
Caso vencesse o Volta Redonda, o Manaus seria líder isolado do grupo A, mas, como perdeu, o clube caiu para sexto. Na próxima rodada o time amazonense enfrenta o Floresta-CE, segundo colocado. O objetivo, além de conquistar pontos dentro de casa, é recuperar a autoestima.

– São pontos que você não recupera, mas você você recuperar a confiança você recuperar a autoestima e eu acho que é isso que que nós vamos buscar depois de dois jogos bem diferentes um do outro nesse início de campeonato. Buscar novamente encontrar um equilíbrio e principalmente uma vitória que nos nos traga de volta o rumo certo para nós classificação – finalizou.

Informações do Ge

Deixe seu comentário