O goleiro Bruno Fernandes, do Rio Branco-AC, conseguiu uma liminar para a retirada da tornozeleira eletrônica durante as partidas da equipe. A decisão é válida pelo prazo inicial de 30 dias.

Ele deverá retirar o equipamento duas horas antes dos jogos e colocar novamente até duas horas depois. O clube do Acre será responsável por levar o jogador até o Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Acre para o procedimento.

Ele foi condenado pela Justiça pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-namorada e modelo Eliza Samudio, ocorrido em 2010. Ele cumpre sua pena no regime semiaberto. Antes de ser preso, fazia uma boa carreira no Flamengo.

Ele está buscando retomar a carreira. O Operário-MT desistiu da contratação de Bruno após protestos de torcedores. O mesmo já havia acontecido com o Fluminense de Feira. Em 2017, após habeas corpus, Bruno acertou com o Boa Esporte e chegou a realizar cinco partidas antes de voltar para a prisão. Em 2019, atuou por meio tempo pelo Poços de Caldas. Em julho desde ano, ele assinou com Rio Branco.

Com informações do Brasil 247