Futebol – Estará em campo nesta quarta-feira (19), no Acre o goleiro Bruno,  mesmo ainda cumprindo pena em regime pelo assassinato de Eliza Samudio. A situação incomodou os brasileiros, mas a direção do Rio Branco não se importou.

Após 50 anos de história, o Rio Branco, do Acre, resolve seguir por um caminho inacreditável. Bruno que deve representar o time como capitão, está condenado a 22 anos e três meses de prisão, pelo homicídio triplamente qualificado e sequestro do próprio filho.

Em 2010 a justiça teria obtido provas que acusava o jogador como quem planejou a morte e o sumiço do corpo da modelo Eliza Samudiu, mãe de seu filho.

Mas parece que tudo isso não incomodou os representantes do Rio Branco, o mesmo não se pode dizer da sociedade, que parece rejeitar a volta de Bruno ao futebol. Vários clubes foram ameaçados com possível boicote a patrocinadores, sempre que cogitava a possível contratação. Mas ele encontrou o empresário Valdemar Neto, que não dá a mínima importância para opinião dos seus torcedores. 

Se a estratégia do empresário era conseguir holofotes do Brasil voltados para o clube que era minúsculo no cenário nacional, com esta contratação, ele provavelmente conseguiu.

A atitude começa refletir de forma negativa para o time, o único patrocinador do clube o abandono, clientes também ameaçaram deixar de frequentar suas lojas caso Bruno permanecesse como goleiro do Rio Branco.

Contudo, Bruno voltará hoje ao futebol.

Fonte: R7