Seleção brasileira chega à final da Copa América sem sofrer gols

Por Alexandre em 7 de julho de 2019 às 11:50 | Atualizado 7 de julho de 2019 às 11:50

Se terminar a final deste domingo (7) sem ter o seu gol vazado, a seleção brasileira irá quebrar um jejum que já dura 18 anos e que poucas vezes foi visto numa edição de Copa América: o de ser campeão continental sem sofrer gols. Nesse caso, a defesa montada pelo técnico Tite poderá acrescentar um significado à expressão “saída à francesa”, já que três dos cinco atletas que compõem o setor foram companheiros no Paris Saint-Germain.

O miolo de zaga é formado por Marquinhos e Thiago Silva, enquanto que o lado direito tem o capitão Daniel Alves. O trio, aliado a Filipe Luís ou Alex Sandro, é a última linha de defesa antes de chegar ao gol defendido por Alisson, que está há nove jogos sem sofrer gols, incluindo partidas pelo Liverpool.

A solidez da defesa é enaltecida por Marquinhos, que desde as Eliminatórias para a Copa da Rússia é titular com Tite — mas na Copa acabou ficando na reserva de Thiago Silva. Na sexta-feira (5), o zagueiro do PSG comentou sobre a possibilidade do Brasil ser campeão sem sofrer um único gol. “A gente está trabalhando para isso. Em competições rápidas assim, de mata-mata, a gente sabe o quanto é importante não levar gol. Isso é um fator que dá confiança para o time”, disse Marquinhos. “Não ter levado gols nessa competição em casa, apesar de alguns momentos difíceis na disputa, é importante.”

Com a autoridade de quem ostenta a braçadeira de capitão, o lateral Daniel Alves exalta o conjunto defensivo como um todo. Para ele, que decidiu não prosseguir no PSG (Paris Saint-Germain), mas permanecerá no futebol europeu, o que é demonstrado em campo, seja na defesa, no meio ou no ataque, é resultado do trabalho coletivo.

“O que a gente quer é lutar até o fim e coroar esse trabalho excepcional. Todo o conjunto vem se dedicando muito por um objetivo”, declarou, após a vitória sobre a Argentina, a primeira, de fato, em que o setor defensivo do Brasil foi testado.

Marquinhos também ressaltou a força do elenco. “Temos consistência e precisamos exaltar o trabalho de todos, não só da defesa. Todos ajudam na marcação, e isso não é da boca para fora. Se pegar os lances de algumas partidas, todos ajudam a marcar e isso facilita o trabalho lá atrás”, comentou.

Thiago Silva tem o mesmo pensamento. “A solidez defensiva começa na frente, no ataque. Procuro frisar isso. Quando a gente não toma gol, falam que a defesa foi bem. Com a pressão sendo feita no ataque, a gente tem menos dificuldade do que o normal atrás”, diz o defensor.

Deixe seu comentário