Brasília – Disputado no Estádio Mané Garrincha sob nova gestão, o primeiro título nacional de 2020 ficou com o clube que encantou os amantes de futebol em 2019 e promete abocanhar ainda mais taças neste ano. O Flamengo dominou a final contra o Athlético Paranaense e se sagrou supercampeão por 3 x 0, com gol do trio artilheiro, formado por Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta.  

Nem parecia início de temporada. Sob um calor de 27º graus, o Flamengo impôs a alta intensidade desde o começo da quarta partida que entra com o time titular, abriu o placar com 14 minutos, viu o torcedor entregar cartaz de “hoje tem gol do Gabigol” após o atacante balançar as redes em jogada de oportunismo. 

O primeiro lance de perigo ocorreu aos 3 minutos. Wilian Arão roubou no meio, arrancou e após tabelar chutou forçando a primeira defesa de Santos. Foi suficiente para o volante acenar para pedir a participação da torcida, composta majoritariamente por flamenguistas. 

Sob apoio massivo das arquibancadas, o Flamengo não demoraria para fazer o público explodir de alegria. Da direita, Gabriel Barbosa cruzou e encontrou Bruno Henrique entrando na pequena área para cabecear livre, de cara para o gol. 

Ao ritmo de “Vamos Flamengo, vamos ser campeão”, o clube seguiu com a maior posse de bola e com boas investidas no ataque. Nas poucas falhas do Flamengo, quando o Athlético subiu a marcação e Rodrigo Caio deixou passar. Rafinha recuperou com direito a chapéu, mostrando que o time carioca voltou para a primeira disputa de título esbanjando confiança. 

Do outro lado, o Athlético evidenciou nervosismo. No começo do jogo, fazendo muitas faltas. Depois do primeiro gol, com erros bobos, um que rendeu inclusive o segundo gol do Flamengo. Aos 30 minutos, o lateral esquerdo Márcio Azevedo tentou recuar de peito para o goleiro Santos. O toque do jogador do Athletico saiu fraco, então Gabigol antecipou a saída de Santos, tirou o goleiro e ampliou a vantagem flamenguista.

Com o placar atrás, o Athlético saiu mais para o ataque a partir dos 30 minutos. As melhores chances foram criadas com Marquinhos Gabriel, que finalizou por cima do gol na primeira chance que teve e, na segunda, exigiu boa defesa do Diego Alves após chute cruzado.  

 

Para fechar a conta

 

O desgaste físico de início de temporada fez o Flamengo diminuir o ritmo no segundo tempo, embora tenha mantido o controle da partida. Aos 23 minutos, o clube carioca subiu para com arrancada de Bruno Henrique pela esquerda, invadiu a área e teve o toque que tinha como alvo o Gabigol interceptada pelo goleiro Santos. A bola sobrou para Arrascaeta, que livre só mandou para dentro. 

O trio artilheiro do Flamengo passou a régua para levantar a taça de campeão da terceira edição da Supercopa do Brasil, que retornou após jejum de 28 anos. O time paranaense se jogou para o ataque em busca do gol de honra, empurrando o adversário para trás, o que é difícil de se ver desde a chegada do técnico Jorge Jesus.