Amazonense é campeão do Katana Fight, no Paraná - Portal CM7 - Notícias de Manaus e Amazonas
Manaus - Amazonas - 14:52
25 de Maio de 2019



Amazonense é campeão do Katana Fight, no Paraná


O amazonense Irmeson Oliveira, 32, lutador de MMA há mais de 10 anos, se sagrou campeão de um dos eventos mais respeitados da modalidade no Brasil, o Katana Fight, que aconteceu na noite do último sábado (5/5) no Centro de Convenções Expotrade, em Pinhais, na grande Curitiba, Paraná. A vitória veio após ele finalizar seu oponente, Marcos Dal Jovem, com um mata-leão ainda no primeiro round. “Ele é bom de trocação, mas sabia que ele pecava no chão. Foi aí que aproveitei e usei o jiu-jitsu, minha primeira arte marcial, e fui feliz”, comentou o campeão do Peso Galo.
O lutador lembra que estava há mais de 60 dias se preparando para o combate, mas teve uma lesão no joelho, o que lhe deixou preocupado, porém, com muito treino, cumpriu o seu dever. “Eu tive dois meses de preparação para o Katana Fight, que é um dos melhores do país, mas eu machuquei o joelho nos 15 dias que antecediam a competição e fiquei um pouco tenso, achei que isso pudesse comprometer a minha performance. Mas fui estratégico e coloquei meu ritmo na luta. Consegui finalizá-lo ainda nos quatro minutos do primeiro round, o que me deixou feliz e com sensação de dever cumprido”, disse ele.
Irmeson é mais um dos lutadores que sonhou alto e precisou arriscar para viver do esporte que ama. Ex-morador do bairro do Alvorada 3 em Manaus, mesmo bairro de onde saiu o campeão dos Peso-Pena do UFC, José Aldo Júnior, ele lembra carinhosamente do seu primeiro chamado para a luta, um convite inesperado durante seu trabalho como flanelinha, na madrugada.
“Eu me lembro como se fosse hoje, eram umas quatro horas da madrugada. Meu irmão e eu reparávamos carros numa churrascaria. Bem próximo havia uma danceteria, e acabávamos fazendo esse trabalho lá também até um pouco mais tarde nas sextas-feiras. Um rapaz saiu de lá e conversou com a gente, o nome dele é Cristiano Carioca. Ele passou a mão na nossa cabeça e convidou a gente para treinar jiu-jitsu na academia dele e já deixou o endereço. Ficamos ansiosos e às 10h da manhã daquele sábado, chegamos lá. Ele nos deu um kimono e a partir de então começou a nossa vida na arte suave”, lembrou Oliveira, que considera o esporte uma transformação de vida.
“Nós tínhamos entre 10 e 12 anos cada, trabalhávamos para ajudar nossos pais com os custos de casa. O Jiu-jitsu foi a nossa oportunidade de mudança de vida. Meu irmão ministra aulas da modalidade atualmente nos Estados Unidos e eu migrei para as artes mistas, porém, o jiu-jitsu é a minha base forte. As oportunidades eram bem escassas naquela época, mas nós abraçamos o esporte, levamos ele à sério. Ele nos deu disciplina, conhecimento e mais que tudo, força para vencer sempre, afinal, esporte é uma ferramenta de transformação” destacou o lutador.
Com um card de 14 vitórias e seis derrotas, o lutador reside atualmente em Curitiba, lugar que ele escolheu para crescer no esporte, formar família e morar. “Quando eu vim para Curitiba, eu estava sedento de conhecimento, queria mais do MMA. Eu queria saber mais e aproveitar as oportunidades. Estou muito feliz aqui, com a equipe Evolução MMA que me recebeu muito bem e por onde conquistei grandes títulos como o Iron Fight e o Golden Fight, além de ter lutado em eventos internacionais como no Absolute Championship Berkut (ACB), o Anglo Russian Culture Club (ARCC) ambos na Rússia”, concluiu Irmeson.
Deixe seu like:

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA