Esporte – Hoje em dia, se inscrever em alguma academia está na moda, a ponto em que cada esquina de grandes bairros possui um local do tipo, praticamente. Até esse ponto, tudo bem, inclusive porque fazer exercícios físicos é uma das melhores atividades que você pode fazer para cuidar de sua saúde.

Contudo, existem muitas pessoas que estão exagerando na hora de usar alguns aditivos para ficar com o corpo “rasgado”, até mesmo as mulheres estão se tornando vítimas desse vício. A geração das gostosas pede corpos e investimentos turbinados. Ou seja, pernas, coxas e bumbum extremamente definidos fazem parte do modelo de beleza desse grupo, que mescla academia com dietas diversificadas.

Além disso, como qualquer esforço é válido para ficar com “tudo em cima”, muitas delas deixam de malhar e suar as horas necessárias e acabam exagerando nas “bombas”, se tornando verdadeiras reféns dessa droga — sim, é droga e vicia. Outro ponto desagradável é que o uso dessas substâncias pode alterar o metabolismo e deixar a mulher com características masculinas — pelos no rosto e no tórax, além de engrossamento da voz etc. Aliás, sempre é bom lembrar: o consumo de anabolizantes pelas mulheres agride o organismo, pode causar câncer e até mesmo levar à morte.

A equipe do Mega Curioso selecionou algumas mulheres antes e depois das “bombas”, em que você pode perceber o estrago que essas drogas fizeram no aspecto feminino de cada uma delas. Confira:

1. O caso Heidi Krieger

2. Barba e minipênis

3. A fisiculturista Denise Rutkowski

4. Mimi D’Attomo, a arrependida

5. Upgrade da magricela