Brasil – A temporada final de Game of thrones, exibida entre abril e maio deste ano, repercutiu muito mal entre boa parte dos fãs, que chegaram a assinar uma petição para que os episódios fossem recriados. Neste domingo (22), porém, a superprodução da HBO pode encontrar sua consagração, pelo menos entre jurados do Emmy, que celebra sua 71ª edição no Microsoft Theater, em Los Angeles.

A Academia Nacional de Artes e Ciências Televisivas premiará os melhores do ano da TV mundial, com uma pompa digna de Oscar, condizente com a magnitude atual das produções audiovisuais feitas para consumo doméstico.

O encerramento da trama de Jon Snow (Kit Harington) e Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) chega ao evento com um total de 32 indicações. Dez prêmios já foram conquistados, incluindo Melhores Efeitos Visuais, Melhor Edição de Som, Figurino e Elenco, na primeira parte do Emmy, realizada no último fim de semana e destinada majoritariamente às categorias técnicas.

Na cerimônia principal, neste domingo, concorre ainda por Melhor Série de Drama, Melhor Ator (Harington), Melhor Atriz (Clarke), além de outros seis artistas como coadjuvantes. Dentre esses, chamam a atenção as presenças de Lena Headey e Gwendoline Christie. A primeira, que interpretou a vilã Cersei Lannister, aparece em apenas 25 dos mais de 400 minutos da temporada. A segunda, amada pelos fãs por fazer a carismática e corajosa Brienne of Tarth, teve que se inscrever pessoalmente, de forma independente, já que a emissora ignorou suas possibilidades.

A lista de probabilidades de Game of thrones ainda tem Melhor Roteiro e Melhor Direção, que podem ser entregues justamente a David Benioff e D. B. Weiss, criadores do seriado baseado nos romances de George R. R. Martin. Poderá ser a consagração final da trama que se tornou a mais vitoriosa da história do Emmy, com 47 prêmios desde que estreou, em 2011. Para alguns, será a festa de GoT, já que vários integrantes do elenco, como Alfie Allen, Gwendoline Christie, Emilia Clarke, Peter Dinklage, Kit Harington, Lena Headey, Sophie Turner, Carice van Houten, Nikolaj Coster-Waldau e Maisie Williams, estão entre os apresentadores. Assim como ocorreu na edição deste ano do Oscar, a cerimônia do Emmy não terá um mestre de cerimônias. A apresentação será dividida entre diversos convidados.
 
VANTAGEM

O volume de indicações de Game of thrones colocou a HBO em vantagem em uma disputa que tem ficado acirrada no Emmy nas últimas edições. Ao contrário do que se viu em 2018, neste ano a emissora ficou à frente da Netflix no número de indicações. São 137 nomeações no total para suas produções, contra 117 do serviço de streaming. Diferentemente da fantasia em torno do Trono de Ferro, outros títulos produzidos e exibidos pelo canal chegam ao evento com a expectativa de ter sucesso de público e crítica traduzidos em prêmios. Chernobyl é um deles, com 19 indicações, incluindo Melhor Série Limitada (Minissérie).
 
O drama, de cinco episódios, centrado nos acontecimentos reais do maior acidente nuclear da história, também foi bem nas prévias, garantindo seus sete primeiros prêmios. Em sua principal categoria, terá a concorrência de Olhos que condenam, da Netflix, outro título baseado em uma história verídica – sobre os cinco adolescentes negros do Harlem condenados por um estupro no Central Park, que não cometeram. A disputa entre as duas gigantes do entretenimento ainda ocorre em Melhor Série Dramática, que tem Succession e GoT pela HBO e Bodyguard e Ozark pela Netflix, além de Melhor Telefilme, onde Black mirror: Bandersnatch concorre com Deadwood, Brexit: The uncivil War e My dinner with Hervé.
 
Mostrando que pode e deve ocupar um espaço cada vez maior no mainstream televisivo, a Amazon chega forte ao Emmy 2019. Maior vencedora em 2018 e vice-líder em indicações nesta edição, com 22, a comédia The marvelous mrs. Maisel está no páreo novamente, desta vez com sua segunda temporada. Além da principal categoria do gênero, poderá dar pela segunda vez consecutiva o prêmio de Melhor Atriz para Rachel Brosnahan.
 
Fonte: Uai.com