Curitiba – O ex-vigilante Robson Aparecido Barbosa, de 42 anos, trabalhou por oito longos anos na área de segurança, tendo sido diagnosticado com depressão nesse meio-tempo. Após largar o emprego, abraçou a profissão de manicuro, que virou uma ferramenta poderosa no combate à doença e que alegra seu dia a dia.

Hoje, Robson passa os dias embelezando as unhas de clientes no Boqueirão, em Curitiba (PR).

Vanessa Maceno, 37 anos, esposa do ex-vigilante, montou um pequeno salão especializado em unhas postiças de acrílico, gel e fibra de vidro na garagem de casa.

Desde 2016, Robson trabalha ao lado da mulher. O casal chega a atender 16 clientes em um único dia quando a agenda lota. O serviço de implantação de unhas postiças tem preço que varia entre R$ 70 a R$ 100, dependendo do modelo.

De início, ele confessa que carregava consigo um certo estigma. “Eu tinha um preconceitozinho em dizer que fazia unha, pensava que esse trabalho não era para homem mas isso é pura bobagem”, comentou.

Após uma tentativa de suicídio no ápice da depressão, uma psicóloga o orientou a fazer algum tipo de trabalho manual, algo que ocupasse a cabeça. “Para não ficar sozinho em casa, eu comecei a ajudar a minha esposa com as clientes. Tirava o esmalte de uma, lixava a unha da outra. Foi assim, aos poucos, que eu fui aprendendo a fazer unhas”, revelou.

Manicuro preferido das clientes

Seu trabalho caprichoso e dedicado fez com que Barbosa se tornasse o preferido das clientes. “Tem meninas que atravessam a cidade, vêm do Batel, de Fazenda Rio Grande, até aqui para fazer as unhas comigo”, contou o profissional. Muitas delas fazem a colocação e manutenção da unha postiça só com Robson.

O salão de beleza é muito mais do que apenas fazer as unhas, mas um espaço de desabafo e divã para muitas clientes. Para o manicuro, as conversas informais e muitas vezes íntimas são terapêuticas para ele.

“Como vigilante não tinha muita conversa, no máximo, eu conversava com o supervisor. Serviço era sempre à noite, ficava quieto, fazia cara de mau”, explicou.

Aos poucos Robson aprendeu a sorrir no novo trabalho, vencendo a batalha contra a depressão. E hoje, mesmo que tente fazer cara de bravo, suas clientes logo lhe arrancam um sorriso largo no rosto.

Tentativa de assalto

Faltando menos de uma semana para o Réveillon do ano passado, Robson e Vanessa sofreram uma tentativa de assalto no portão de casa. “No dia 27 de dezembro, minha esposa foi deixar uma cliente no portão e um homem veio e abordou as duas. Eu acabei reagindo e levei um tiro no abdome – a bala saiu do outro lado, na cintura”, lembra o manicuro.

Levado às pressas para o Hospital do Trabalhador, ele ficou internado por um mês. Após uma série de cirurgias, Robson perdeu parte do intestino grosso, recebeu 47 pontos no abdome e, no período de quatro meses, emagreceu 30 quilos.

“Hoje eu não posso ficar muito tempo sentado e ficar com a coluna reta por causa das operações. Consigo atender no máximo quatro clientes por dia”, explicou o profissional. Agora o casal tenta refazer a antiga clientela.”

Fortalecimento da união

No final das contas, o casal saiu fortalecido da tentativa de assalto e a crise de depressão. “Há uma confiança muito grande, outra pessoa não ficaria do lado por tanto tempo”, afirmou Vanessa.

A esposa do ex-vigilante afirma não sentir ciúmes do marido atender a clientela feminina. “Eu nunca cheguei a chamar atenção dele, até porque ele me passa segurança. Já aconteceu de uma ou outra chegar com graça, mas ele sempre foi muito profissional diante das meninas”, contou.

Fonte Razões para acreditar