Em entrevista a Leo Dias, do Metrópoles, Andressa Urach relembrou alguns detalhes grotescos da época em que se prostituía e qual era o maior “fetiche” de seus clientes

“A coisa mais nojenta e que mais se pagava é você se submeter a urinar e defecar no cliente ou vice e versa. De você, por exemplo, ter que botar a sua mão dentro da parte íntima desse homem. Coisas que depois a sua cabeça pira”, relembrou a agora evangélica. “Isso é horrível, é nojento. Tinha nojo de mim”, disse Andressa sobre defecar e urinar em seus clientes, ou vice-versa. “Depois tu se sente suja. Eu lembro que eu ia para debaixo do chuveiro, passava álcool e a sujeira estava dentro de mim. E aquilo não saía mais da minha cabeça. Eu perdi totalmente o amor próprio, os valores, os princípios”.

A ex-Miss Bumbum lembra que recebeu R$ 1 mil pelo primeiro programa sexua e achou o cliente bonito: “Eu trabalhava o mês inteiro para ganhar isso. Então, aos meus olhos, parecia uma grande oportunidade de mudar de vida”. Na época em que focou no trabalho como garota de programa, em um só dia, ela chegou a transar com até 7 homens, até ter a ideia de ficar famosa para aumentar o seu cachê. Andressa investiu em ser musa do time Internacional, e depois virou dançarina de Latino. Ela também se tornou Miss Bumbum, época em que ficou mais famosa, participando de “A Fazenda 6”.

Após deixar o reality show, ela chegou a faturar R$ 30 mil por programa. E recebeu R$ 80 mil para fingir ser namorada do sertanejo Raffael Machado, para tentar fazê-lo ficar famoso. “Eu bebia, cheirava cocaína todos os dias para buscar a felicidade. E hoje eu sou feliz. Eu fui podre, um ser humano nojento que não merecia uma segunda chance”, lembrou. “O passado é lugar de referência, não de permanência. Ficou para trás, aprendi. Não posso mudar. Me arrependo muito”, lembra.