Brasil – Os principais sintomas associados à forma intestinal de uma infecção parvo virose canino incluem:

  • Diarreia grave e sanguinolenta
  • Letargia
  • Anorexia
  • Febre
  • Vômito
  • Perda de peso grave

A forma intestinal do parvo virose afeta a capacidade do organismo de absorver nutrientes. Assim, um animal afetado se torna rapidamente desidratado e fraco pela falta de absorção de proteínas e líquidos. O tecido úmido da boca e dos olhos pode ficar visivelmente vermelho, e o coração pode bater muito rápido. Então, quando seu veterinário examina a área abdominal do seu cachorro, ele pode responder devido a dor ou desconforto. Cães que contraíram parvo virose também podem ter uma temperatura corporal baixa, ao invés de febre.

Como é a parvo virose?

A maioria dos casos de infecções por parvo virose é causada por uma alteração genética do parvovírus canino original: o parvovírus canino tipo 2b. Há uma variedade de fatores de risco que podem aumentar a suscetibilidade de um cão à doença. Mas, principalmente, a parvo virose é transmitida por contato direto com um cachorro infectado, ou indiretamente, pela via fecal-oral.

Concentrações pesadas do vírus são encontradas nas fezes de um cão infectado. Por isso, quando um cachorro saudável fareja as fezes de um cão infectado (ou ânus ), esse cão pode contrair a doença. O vírus também pode ser trazido para o ambiente por meio de sapatos que entraram em contato com as fezes infectadas.

Há evidências de que o vírus pode viver no solo por até um ano. Pois é resistente à maioria dos produtos de limpeza ou mesmo às mudanças climáticas.

Sendo assim, se você precisar limpar uma área contaminada por parvo virose, primeiro recolha e descarte com segurança todo o material orgânico (vômito, fezes, etc.). Em seguida, lave completamente a área com uma solução concentrada de água sanitária, um dos poucos desinfetantes conhecidos para matar o vírus. Se um cão teve parvo virose em uma casa, é melhor não ter um cachorro nessa casa por vários anos.

Além disso, devido à quantidade de cães, canis de reprodução e abrigos para cães que possuem um grande número de filhotes não vacinados são locais particularmente perigosos.

É por isso que o seu veterinário vai querer voltar a vacinar o seu cachorro, mesmo que os registros do criador indiquem que ele foi vacinado. Os abrigos e grupos de resgate muitas vezes colocam filhotes em lares adotivos até que estejam prontos para adoção para minimizar o risco de disseminação de parvovírus.

Por razões desconhecidas, certas raças de cães, como Rottweilers, Pitbulls, Labrador Retriever, Doberman Pinschers, Pastores Alemães, Springer Spaniels ingleses e cães de trenó do Alasca, são particularmente vulneráveis ​​à doença. Assim, seu veterinário pode recomendar um protocolo de vacinação estendida nessas raças.

Diagnóstico de parvo virose em cães

Parvo virose é diagnosticado com um exame físico, testes bioquímicos e um teste especial para o parvovírus nas fezes. Uma análise de urina, radiografias abdominais e ultrassonografias abdominais também podem ser realizadas. Níveis baixos de glóbulos brancos e desidratação significativa são indicativos de infecção por parvo virose.

A análise bioquímica e urinária pode revelar enzimas hepáticas elevadas, linfopenia e desequilíbrio eletrolítico. A radiografia abdominal pode mostrar obstrução intestinal. A ultrassonografia abdominal pode revelar linfonodos aumentados na virilha, ou em todo o corpo, e segmentos intestinais cheios de líquido.

Por fim, você precisará dar ao seu veterinário um histórico completo da saúde do seu animal de estimação, histórico de vacinação, atividades recentes e início dos sintomas. É importante refazer os passos do seu cão para a possível exposição e possível contaminação.

A parvo virose é tratável?

Se a doença é uma infecção viral, não há cura real para isso. Assim, o tratamento para parvo virose é focado na cura dos sintomas e na prevenção de infecções bacterianas secundárias, de preferência em ambiente hospitalar. Terapia intensiva e suporte sistêmico são as chaves para a recuperação.

Fluidos intravenosos e terapia nutricional são cruciais para manter o fluido corporal normal de um cão após diarreia grave e desidratação, e os níveis de proteína e eletrólitos serão monitorados e regulados conforme necessário.

Medicamentos para cães que podem ser usados ​​no tratamento incluem medicamentos para conter vômitos (antieméticos), antiácidos, antibióticos prescritos para animais de estimação e antihelmínticos para combater parasitas.

A taxa de sobrevivência em cães é de cerca de 70 por cento quando tratados no hospital. Mas a morte pode, por vezes, resultar de desidratação grave, uma infecção bacteriana secundária grave, toxinas bacterianas no sangue ou uma hemorragia intestinal grave .

O prognóstico é menor para os filhotes, já que eles têm um sistema imunológico menos desenvolvido. É comum que um filhote infectado com parvo virose sofra choque e morte súbita.

É possível tratar a parvo virose em sua casa sob a direção do seu veterinário. É um processo muito trabalhoso. Mas pode significar a diferença entre a vida e a morte quando fundos ou circunstâncias não permitem tratamento intra-hospitalar. Seu veterinário irá ensiná-lo a dar fluidos e monitorar os sinais vitais.

Vivendo e gerenciando

Mesmo depois que seu cachorro se recupere de uma infecção por parvo virose, eles ainda terão um sistema imunológico enfraquecido por algum tempo e estarão suscetíveis a outras doenças. Uma dieta de alta qualidade e fácil digestão é melhor para o seu cão durante a recuperação.

Seu cão também continuará a ser um risco de contágio para outros cães por pelo menos dois meses após a recuperação inicial.

Lave todos os objetos que seu cão usa (por exemplo, pratos, casinha de cachorro, canil, brinquedos para cães).

Recuperação vem com imunidade a longo prazo contra o parvovírus, mas não é garantia de que seu animal de estimação não será infectado com o vírus novamente.

Prevenção da parvo virose em Cães

A melhor prevenção que você pode tomar contra a infecção é seguir o protocolo correto para a vacinação. Assim, filhotes jovens devem ser vacinados a partir das seis semanas de idade, com pelo menos duas vacinas após 10 semanas de idade, e não devem ser socializados com cães desconhecidos até pelo menos duas semanas após a terceira vacinação.

Raças de alto risco podem exigir um período de vacinação inicial mais longo de até 22 semanas. Durante este tempo, o seu cachorro deve apenas socializar em áreas privadas com cães conhecidos.

Evite todas as áreas públicas onde os cães passam tempo, incluindo o parque dos cães, a praia dos cachorros, as lojas de animais e outras áreas designadas por cães.

Sempre pegue as fezes imediatamente. É um bom hábito começar imediatamente, pois reduz a contaminação ambiental e reduz a disseminação de parasitas intestinais.

O vírus parvo é uma doença com sérias consequências. Ação rápida por você e seu veterinário dá ao seu cão o melhor prognóstico para uma recuperação completa.

 

Fonte: portaldodog.com.br