Brasil – A desidratação em cães ocorre quando o corpo perde mais fluido do que está ingerindo. Todos os mamíferos dependem da água para manter seu corpo funcionando adequadamente, e os cães não são exceção.

Na verdade, a água é necessária para praticamente todas as funções importantes do corpo, incluindo juntas lubrificantes, amortecimento dos órgãos internos, auxiliando na digestão e regulando a temperatura corporal. Quando pensamos em nutrição, geralmente pensamos em comida. Mas a água é um ingrediente criticamente necessário que permite que as células do corpo do seu cão absorvam nutrientes.

É normal que o corpo de um cão ganhe e perca água ao longo do dia. Ofegar, respirar, urinar, defecar e evaporar através das patas contribuem para a perda normal de água, que o seu cão compensa comendo e bebendo.

Quando o corpo de um cão chega ao ponto em que a ingestão normal de fluidos não consegue compensar a perda de água, o fluxo sanguíneo e o volume de fluidos são reduzidos, o que reduz a liberação de oxigênio para órgãos e tecidos. A desidratação em cães também resulta em perda de eletrólitos, como sódio, cloreto e potássio. Estes minerais têm funções importantes no corpo:

  • Equilibrando o pH do corpo.
  • Movendo nutrientes para as células.
  • Facilitando a função muscular.
  • Função nervosa reguladora.

Nos casos mais graves de desidratação canina, a grave escassez de fluidos pode até levar à insuficiência renal e de outros órgãos e à morte.

Quais são os sintomas da desidratação canina?

Então, como você pode saber se seu cão está desidratado? Infelizmente, nossos cães não podem nos dizer que estão com sede.Mas saber os sinais da desidratação pode ajudar os donos a responder rapidamente e também detectar condições médicas potencialmente sérias antes que se tornem emergências de vida ou morte. Os sintomas da desidratação canina incluem:

  • Perda de elasticidade da pele
  • Perda de apetite
  • Vômito com ou sem diarreia
  • Redução dos níveis de energia e letargia
  • Ofegante
  • Olhos afundados e secos
  • Nariz seco
  • Gengivas secas e pegajosas
  • Saliva grossa

Perda de elasticidade da pele é o sinal mais fácil de testar para a desidratação. Para testar, segure um pouco da pele do cão perto das omoplatas, levante-a e depois solte. Observe atentamente enquanto ele cai no lugar. Em cães bem hidratados, a pele instantaneamente voltará à sua posição original. A pele de cães desidratados, por outro lado, levará mais tempo para voltar ao lugar.

É uma boa ideia primeiro testar a pele do seu cão quando tiver certeza de que ele está bem hidratado, para que você tenha uma base para a sensação de elasticidade normal da pele.

Outro teste é verificar as gengivas do seu cão para sentir se estão pegajosas e secas. Pressione o dedo suavemente contra as gengivas do seu cão e, em seguida, retire o dedo. Em um cão bem hidratado, a área em que você pressionou aparecerá em branco por um segundo e retornará à cor rosa quase que imediatamente. Nos cães desidratados, o tempo de recarga demora muito mais tempo. 

Tratando a desidratação canina

Se você suspeitar que seu animal está desidratado, primeiro certifique-se de que ele beba muita água fresca, especialmente em climas quentes. Em um ciclo vicioso, os cães desidratados podem perder o apetite, o que faz com que eles comam menos e, portanto, eliminem o teor de água que normalmente obteriam de seus alimentos.

Ele também pode precisar ter seus eletrólitos substituídos porque quando seu corpo não está recebendo água suficiente, fluidos contendo eletrólitos são retirados das células, causando um desequilíbrio que afeta seus órgãos. É melhor verificar com seu veterinário as recomendações de dosagem.

Se o seu cão apresentar algum dos sintomas de desidratação listados acima, vômito persistente ou suspeita de insolação, leve-o ao veterinário imediatamente; isso é considerado uma emergência médica.

A desidratação é muitas vezes um sintoma de um problema maior. Sendo assim, seu veterinário vai querer diagnosticar e tratar a condição subjacente. Esse processo dependerá dos outros sintomas do seu cão e pode envolver qualquer coisa, desde exames de sangue até raios X ou outros testes.

A melhor maneira de proteger seu cão da desidratação é fornecendo a ele constante água limpa, inclusive quando você o levar para fora. Alguns cães bebem mais que outros, então você pode precisar tomar cuidado extra para garantir que os bebedores exigentes recebam água suficiente.

 

Fonte: Portal dog