A Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) da Polícia Civil do Paraná apreendeu 250 animais silvestres ou em situação de maus tratos em Curitiba e região no primeiro trimestre deste ano. Entre os bichos apreendidos, estavam aves silvestres nativas ameaçadas de extinção, cobra píton, aranhas-caranguejeiras e aranha-golias, além dos domésticos como cachorros e gatos. As apreensões são fruto de uma parceria inédita com a Rede de Proteção Animal no município de Curitiba.

O delegado Matheus Laiola, responsável pela delegacia especializada, afirma que os números registraram recorde em 2019 por conta da parceria com a rede municipal, o que deve ser estendido para as demais cidades em breve. “Apreendemos nesse período gaviões carcará, araras, canários-belgas, pintassilgos, canários-azulões, coleirinhas, curiós. São animais em extinção que precisam do devido cuidado. Eles não podem ser usados em comércio ilegal ou mesmo permanecer com pessoas que não têm autorização expressa do Ibama”, explica.

Segundo a DPMA, foram aplicados R$ 250 mil em multas pelo município e cerca de 30 pessoas foram detidas por conta de duas infrações penais: ato de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais silvestres, domésticos ou domesticados, com pena de três meses a um ano de prisão; e manutenção de espécimes da fauna silvestre em cativeiro sem a devida permissão da autoridade competente, com pena de seis meses a um ano de prisão.

LOCAIS ADEQUADOS – A DPMA atende todo o Paraná, mas as maiores apreensões ocorreram na capital e em cidades da Região Metropolitana, quando o processo é acompanhado pelas respectivas prefeituras. Os animais silvestres são encaminhados para locais adequados para proteção e, posteriormente, devolvidos à natureza. As denúncias chegam através dos telefones da Polícia Civil e dos municípios.

MAIOR ANIMAL – Na terça-feira (23), a Polícia Civil apreendeu uma cobra píton com mais de seis metros de comprimento em uma casa em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Esse foi o maior animal apreendido em cativeiro no Paraná até hoje. Além do réptil, foram apreendidas também duas aranhas, das espécies caranguejeira e golias. O homem de posse dos bichos prestou depoimento e responderá ao processo em liberdade. Os animais serão realojados no Passeio Público.

COMO DENUNCIAR – Quem souber de casos de animais que estejam em situação de maus-tratos ou em posse ilegal pode ligar para a Central da Prefeitura de Curitiba, pelo telefone 156. A Rede de Proteção Animal tem recebido trinta denúncias por dia desses tipos de situação, segundo a administração municipal.