Manaus – A falta de ar em cães é algo raro de acontecer, mas precisa ser observado logo e o tratamento precisa ser rápido. Por isso, se você quiser entender um pouco mais sobre o assunto, acompanhe o texto e veja o que você pode fazer para evitar, tratar e identificar uma possível dificuldade respiratória no seu melhor amigo.

Falta de ar em cães

A falta de ar em cães é um dos problemas mais graves que podem acometer cachorros adultos ou filhotes. Esta situação pode estar ligada a uma série de fatores determinantes que podem, inclusive, levar o cão a óbito. Por isso, prestar atenção nos sinais e nas possíveis complicações é de extrema importância.

Cachorros devem inspirar e expirar cerca de 10 a 30 vezes por minuto enquanto estiverem em repouso. Ou seja, qualquer alteração para menos ou mais, significa que a respiração do cão está comprometida. E, desta forma, você precisará procurar ajuda o mais rápido possível.

Para ajudar você a entender um pouco mais sobre a falta de ar em cães, separamos este texto para abordar o assunto de forma objetiva e prática. Acompanhe dois dos principais motivos da falta de ar em cães.

Parada respiratória

A parada respiratória é um dos estados mais graves que pode acometer um cão com falta de ar. Ela pode estar relacionada a uma série de fatores intrínsecos ao organismo do animal. Ou seja, pode ocorrer devido a muitas situações.

O mais importante é pegar o cachorro e dirigir-se imediatamente para o pronto socorro para iniciar o tratamento. No caminho, é importante monitorar sempre a respiração do animal. Caso note que ela venha a diminuir muito, é importante que seja feito uma espécie de respiração boca a boca, soprando no focinho do animal. Além disso, uma massagem cardíaca deve também ser feita, do lado esquerdo do peito do cachorro, próximo ao cotovelo.

Estas ações são fundamentais para que o cachorro continue respirando até a chegada na clínica, onde os processos mais complexos poderão ser feitos.

Algum tipo de gripe

Além da parada respiratória, que é extremamente grave, a falta de ar em cães também pode surgir a partir de uma gripe canina ou resfriado contraído em algum momento. Os sintomas mais básicos e clássicos deste tipo de problema são um forte desânimo ou cansaço no cão, a respiração rápida e ofegante, falta de vontade para comer, corrimento no nariz e tosse seca.

É normal os cães ficarem gripados durante o ano pelo menos duas vezes. Entretanto, estas situações sempre devem ser acompanhadas de perto para não evoluírem para situações mais graves e complexas, como a citada anteriormente (parada respiratória).

Como tratar a falta de ar em cães?

Agora que você já entendeu um pouco sobre como a falta de ar em cães pode acontecer, é hora de entender como tratá-la. Entretanto, é importante adiantar: não há receita milagrosa, pois cada caso é um caso e cada raça de cachorro é única, podendo necessitar de tratamentos especiais e diferenciados.

Existem tratamentos com remédios via oral, nasal e até mesmo inalação. Entretanto, para que você saiba exatamente que atitude tomar, nunca deixe de consultar um veterinário. Ele e somente ele poderá recomendar dosagens e tipos de remédios para a situação do seu animal. Lembre-se que todos remédios possuem efeitos colaterais. E isto é válido também para os cães. Por isso, muito cuidado.

Cuidados com a saúde são importantes

A falta de ar em cães é um sintoma muito típico a partir de gripes, como citado anteriormente. Entretanto, é possível prevenir e evitar a situação simplesmente levando o animal regularmente a um veterinário. É ele quem poderá avaliar as condições de presente e futuro, recomendar providências, prevenções, etc. Veja uma lista de itens que você deve se atentar para manter seu cão saudável.

Deixe as vacinas em dia

As vacinas são as fontes mais seguras de prevenção. É através delas que você evitará uma série de doenças, contaminações ou problemas futuros para o seu cachorro. Por isso, mantenha a caderneta de vacina do animal em dia. Busque entender sobre a importância de cada vacina e, desta forma, você garantirá uma vida mais saudável para o cão, desenvolvendo anticorpos e demais proteções.

Não deixe-os sair na chuva e no frio

A falta de ar em cães, como citado, também pode ocorrer devido a uma forte gripe. E esta gripe pode ser contraída caso o cão ande na chuva ou no frio de forma regular. Por isso, mantenha uma constância nas atividades externas em momentos de sol, evitando a exposição a temperaturas mais baixas e perigosas para a saúde do animal.

Faça consultas regulares no veterinário

Esta é clichê mas é de suma importância. Visite o veterinário com regularidade para ter um prontuário completo do seu cachorro. A partir de dados coletados, você poderá ter tratamentos muito mais rápidos e direto ao ponto. Proporcione mais saúde ao seu cão desta maneira.

Higienização é fundamental

Outra situação que parece clichê, mas precisa ser levada ao pé da letra: higienização. Sim, manter o seu cão limpo evitará uma série de contaminações que podem ocorrer devido a sujeiras pelo corpo. Diferente de um gato, por exemplo, o cão precisa de atenção na parte higiênica. Caso contrário, diversas doenças (inclusive a falta de ar em cães) poderão desencadear a partir das bactérias encontradas pelo corpo.

Cuidado com a alimentação

Nós somos o que nós comemos. E os cães também. Por isso, mantenha uma alimentação balanceada e completamente equilibrada para o seu cachorro. É importante fornecer todos os tipos de nutrientes e vitaminas para que o corpo trabalhe da forma correta e previna as doenças de forma mais eficaz.

Faça o exercício de observação

A falta de ar em cães pode ser notada com o simples trabalho de observação. Ou seja, observe o seu cão. Veja como ele está se comportando. Caso você note qualquer atitude estranha, busque fazer um acompanhamento mais de perto para ver o que ele anda fazendo. Se você notar qualquer tipo de dificuldade para respirar, leve-o imediatamente a um veterinário, pois um problema mais grave pode estar causando esta disfunção.