O adestramento com método clicker está entre os processos mais eficazes no treinamento de cachorros. No texto de hoje, vamos apresentar alguns conhecimentos básicos a respeito deste assunto. Por isso, acompanhe para entender e aprender como você pode aplicá-lo de forma prática com o seu cão.

Adestramento com método clicker

O adestramento com método clicker é famoso por sua praticidade. Todo mundo sabe que para ter um cão saudável fisicamente e mentalmente, o adestramento é um processo extremamente importante. Por isso, nada melhor que encontrar aquele que seja perfeito para você e para o cachorro, não é mesmo? Desta forma, recomendamos a atenção a alguns critérios que precisam necessariamente ser levados em consideração.

Afinal, adestrar um cachorro pode ser fácil ou difícil. Tudo vai depender da sua disposição, da raça e, claro, da idade do animal. E para que você consiga atingir resultados mais satisfatórios, é importante fazer da forma certa, sem pressionar o cão e sem perder as esperanças. Assim você garantirá que o processo seja saudável. Acompanhe para entender melhor.

Como surgiu o método clicker?

Antes de mais nada, é preciso entender como surgiu o método clicker. Esta é uma forma de adestramento feita através de um objeto plástico que emite um ruído simples, objetivo e muito fácil de ser captado pelo cão. Ele foi desenvolvido nos anos 50, nos Estados Unidos. Por mais que hoje ele seja ótimo para cães, saiba que o primeiro uso foi em baleias e golfinhos.

No entanto, nos anos 80 o autor do livro “Don’t Shoot The Dog” ou, na tradução, “não atire no cachorro”, padronizou o uso do clicker para o adestramento de cães. Assim sendo, Karen Pryor foi responsável por introduzir este método no mercado de forma revolucionária e inteligente.

Sabemos que cães possuem padrões comportamentais que podem ser moldados de acordo com algum treinamento. Assim sendo, a base do clicker é, fundamentalmente, condicionar o cachorro a situações que nós, humanos, queremos. Desta forma, Ivan Pavlov ajudou a formalizar estes critérios comportamentais, ganhando inclusive um Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia em 1904. Os estudos dele pautavam justamente estes reflexos a partir de alguma ação. Entendendo, então, que havia uma certa relação entre um comando ou situação e o comportamento canino.

Aplicando o método clicker

Depois de entender um pouco de onde surgiu o método clicker, é hora de entender como aplicá-lo. Basicamente o que precisamos captar é que o cão sabe entender. Ou seja, condicioná-lo é possível. E por isso, existe o adestramento. Desta forma, podemos aderir o clicker como ferramenta para ter um cão mais respeitoso.

Tudo que você precisa fazer é ter o equipamento certo. Trata-se de um objeto de plástico que produz um ruído compatível com a audição canina. Após adquirir o clicker, você deverá seguir alguns critérios para trabalhar o adestramento da forma correta e saudável.

Funciona da seguinte forma: toda vez que o seu cachorro efetuar algo que seja positivo, ou seja, agir de acordo com o que você quer, você acionará o clicker e dará um presente. Este presente pode ser um biscoito canino da preferência dele. Com o passar do tempo, o cão associará o ruído do clicker com o biscoito. Logo, ele saberá o que precisa fazer. E é assim que o adestramento com método clicker funciona.

Assim sendo, talvez você pense que está muito fácil, não é mesmo? Mas não está. Afinal, não é tão simples assim treinar o cachorro. Leva tempo e exige paciência. Por isso, é importante seguir nossos critérios para entender como proceder.

A ambiente precisa ser calmo

Como você sabe, cachorros se distraem com uma série de coisas ao seu redor. Seja uma rua movimentada, seja algum vizinho ou seja um cachorro passeando na calçada. Fato é que, se você estiver buscando entender o adestramento com método clicker, é importante fazê-lo de forma calma em um ambiente propício.

Por exemplo, se você estiver tentando ensinar o seu cachorro métodos de educação em um local com muito barulho, dificilmente ele captará o sinal do clicker e, consequentemente, não surtirá efeito nem em curto nem em longo prazo. Assim sendo, o que você precisa fazer é evitar justamente isso e proporcionar um treinamento mais focado e objetivo.

Recomendamos buscar quintais sem intervenções exteriores ou áreas abertas em que não haja outros cães. Entretanto, também é possível experimentar ambientes internos, caso você more em apartamento. Mas o mesmo critério precisa ser válido: nada de distrações e desfoco.

Evite a zona de conforto

Evitar a zona de conforto é uma forma extremamente útil de manter o cão interessado no que você tem a ensinar. O que você pode fazer, por exemplo, é testar novos métodos quando os atuais estiverem saturados. Afinal, o clicker é dinâmico e você poderá criar situações diferentes a todo instante.

Entretanto, tome cuidado para não causar confusão na mente do cachorro. Variar não significa pulverizar o adestramento. Ou seja, testar dezenas de formas a todo momento não tirará o cão da zona de conforto. Pelo contrário, manterá ele sem saber o que está acontecendo. O que é extremamente negativo para o processo.

Seja objetivo no treinamento

Há centenas de métodos de treinamento para cães. Mas se tem uma regra básica em todos eles, é a objetividade. Afinal, de nada adianta você criar situações extremamente complicadas e desafiadoras para o cão, pois ele ficará sem entender nada. E isto não é bom. Por isso, objetividade é sempre importante.

Isto pode ser aplicado, por exemplo, com palavras de ordem. O cão dificilmente entenderá se você disser: “pare de morder o tapete, isto é feio!”. Agora, se você disser uma palavra em tom forte, curta e rápido, como por exemplo: “pare!”, a chance de surtir efeito é muito maior. Com o tempo, ele associará que o conjunto sonoro “pare!” é um comando para ele não fazer o que está fazendo.

Por isto o adestramento com método clicker é tão poderoso. Afinal, o ruído que o objeto cria na mente do cachorro é o suficiente para ele entender que algo que ele fez foi bom. E por isso, ganhará um presente. Desta forma sim, com o tempo, o cão aprenderá a ter uma conduta respeitosa e educada a base de condicionamento.

Não exagere nas recompensas

Como falamos no decorrer do texto, oferecer recompensas é muito importante para o cachorro. É isto que fará ele repetir o ato. Ou seja, repetir algo que seja positivo. Entretanto, há um limite muito estreito entre recompensar o cachorro e agradá-lo em excesso.

Afinal, já sabemos que o cão obedece comandos e podemos condicioná-lo de diversas formas. Logo, oferecer biscoitos em exagero e a todo momento, condicionará ele a querer sempre. E isto não é saudável nem para o psicológico e muito menos para o físico do animal.

Evite o treinamento quando estiver cansado

Cães entendem quando estamos felizes, tristes ou cansados. Sendo assim, um fator muito importante no adestramento com método clicker, é não praticá-lo quando você estiver cansado. Se o dia não foi bom, deixe para o outro dia. Esta é uma forma eficaz de não transparecer descontentamento para o cão na hora que ele acertar.

Afinal, ele precisa enxergar a sua felicidade para com ele nos momentos em que ele merecer. Caso contrário, causará confusão na forma que ele interpreta a situação, podendo surtir efeitos negativos. Ou seja, transpareça felicidade ou descontentamento nos momentos certos e as chances de ter bons resultados no médio e longo prazo são muito maiores.

Brigar com o cachorro não ajuda em nada

Talvez você já tenha ouvido falar que brigar com o cachorro é negativo para ele, não é mesmo? De fato, é. Ainda mais quando ele estiver sendo submetido a um treinamento ou adestramento. Cães são sensíveis. Se eles perceberem que você está bravo com eles, as chances de surgir depressão ou excesso de agressividade são muito grandes.

Assim sendo, se o cachorro não respeitar o comando de primeira, tudo bem. Não brigue com ele nem deixe-o envergonhado. Vá com calma e aos poucos, sem pressionar. Lembre-se sempre que eles são animais e, dependendo da idade, tudo que eles querem é brincar, comer e ficar perto de você.

Adestramento é importante e saudável

Caso precise, nunca deixe de buscar ajuda profissional especializada. Adestramento inteligente é saudável para o cachorro, seja qual método for usado. Desde que se use empatia, carinho, amor e as palavras certas, a chance de ter um cão mais feliz e saudável também aumenta. Boa sorte!

 

Fonte: Dr. Dog