CM7

 
Manaus, 23 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Colunas / Subindo e Descendo do Salto / Cartas de presos denunciam corrupção de diretores do Compaj pela FDN

Cartas de presos denunciam corrupção de diretores do Compaj pela FDN

Da redação | 10/01/2017 09:52

As cartas que dois presos enviaram para órgãos públicos antes do massacre do Compaj foram obtidas pelo Blog BNC.

Nelas, Alciney Gomes da Silveira e Gezildo Nunes da Silva, presos em regime fechado, denunciam corrupção de membros da direção do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) pela facção criminosa Família do Norte (FDN).

Segundo o texto de uma das cartas, os dois presos, que acabaram mortos no massacre do dia 1º de janeiro, denunciam dois nomes: subdiretor Carvalho, e Wink, do GSI. “Eles são corruptos, recebem dinheiro da facção FDN, facilitando a entrada de armas, drogas, celulares, facilitando a última fuga que teve no Compaj (14 internos, no início do mês de dezembro de 2016)”.

Os presos salientam na carta que aquela era a segunda vez que estavam denunciando essa corrupção e envolvimento de membros da direção com o grupo FDN, “que tinha grandes intenções” de ceifar a vida do autor da carta, como diz.

O relato na carta revela que os presos recebiam ameaças de serem retirados do regime fechado, “o guarda-volume do seguro”, pelos diretores denunciados. Com isso, ficariam expostos aos criminosos rivais.

A Redação do BNC fez duas ligações para o celular do secretário de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio. Ele não atendeu e nem retornou até às 18h52.

Leia as cartas dos presos, na íntegra, e a transcrição feita pelo BNC:

Carta 1

Manaus, 10 de dezembro de 2016

Eu, Alciney Gomes da Silveira e Gezildo “Nunis” da Silva venho através desta mais uma vez denunciar o sub-diretor = Carvalho do GSI = Wink – comp regime fechado, pois os mesmos estão diariamente fazendo ameaças da questão de nós (sic) tirar da onde estamos hoje, guarda volume seguro 2 (sic) nós internos, conseguimos uma medida cautelar de segurança pois corremos risco de morte, se (ilegível) viermos ser tirados de onde estamos, pois não temos convívio em nenhum lugar, só temos convívio onde estamos, por que (sic) todos os catos nós já passamos e saímos entre a vida e a morte, só tendo o convívio onde estamos atualmente.

O juiz determinou que permanecêssemos aqui, como está nas cópias junto a esta carta, pois o dub-diretor e o GSI, querem nos tirar daqui sem motivos, só pelo fato de nós internos, sabermos que eles são corruptos e recebem dinheiro da facção FDN, facilitando a entrada de armas, drogas, celulares, facilitando a última fuga que teve no Compaj – onde fugirão (sic) 14 internos na semana passada e nada foi feito, essa a segunda vez que faço essa denúncia e não obtive resposta, pois os mesmos estão recebendo dinheiro da facção FDN, que tem grandes intenções em ceifar minha vida, os mesmos querem me tirar de onde estou, desobedeçendo (sic) a ordem judicial do juiz, como cópias juntas a essa carta, para me levar direto para a morte, violando o artigo 5º da Constituição Federal e o artigo 1º da CF, o juiz determinou que nós permaneçamos no guarda volume seguro do Compaj – regime fechado, só que o sub da unidade é ele, quer dizer que o juiz não manda?

Por que (sic) é isso que ele falou e fica me ameaçando todos os dias que irá nós (sic) daqui como ele mesmo disse; depois que morrer já era, aí quer dizer a Ouvidoria, a SEAP só vão fazer alguma coisa quando nós tivermos a nossa vida ceifada?

Eu peço a Vossa Autoridade que por favor, em caráter de urgência, que você viesçe (sic) nos ouvir aqui na unidade para provarmos o que estamos falando ou mandasse um ofício para o estatístico da unidade sobre a nossa permanência no guarda volume seguro 2, por que (sic) de boca não funciono, tudo tem que ser documentado, por que (sic) o juiz já determinou a nossa permanência no guarda volume seguro 2, ou aonde eu devo fazer essa denúncia?

No STJ Brasília, ou me informem, me ajude a essa carta chegar em alguém que possa resolver essa questão, por que (sic) eu só tenho uma vida e ninguém quer morrer.

Estou sendo torturado psicologicamente, pelo sub-diretor (sic) Carvalho e o GSI – Wink, por que (sic) mudou a direção do presídio e até então quem está no comando é o sub diretor = Carvalho.

* Obs: Não se esqueça de enviar um ofício para a direção – Compaj – regime fechado, estatística da permanência no guarda volume 3, seguro 2 até o andamento do processo como o juiz determinou documenta por favor. Só tenho uma vida, ninguém quer morrer. Essa semana, porque tudo vai entrar em recesso Natal Ano Novo.

Carta 2 

Manaus, 10 de dezembro de 2016

Eu, Gezildo Nunis da Silva venho pedir desta ouvidoria (sic) uma ajuda pois estou a (sic) um ano preso, minha é de 5 anos. Já estou com exço (excesso de prado) da minha condicional e por que (sic) eu ainda (estou) preso, por que já era pramim (sic) estar solto e estou passando por toda essa situação de risco de morte e não era mais pramim está preso. Já está tudo pago, eu queria que você viesse me ajudar, pois já está tudo pago pra lei e ainda estou preso por que minha família está precisando de mim, eu sou o sustento da casa e estou precisando ajudados, pela lei não é pramim esta preso. Fico grato pela atenção e que essa ouvidoria venha me ajudar como vai ficar a nossa situação de tudo o que está acontecendo, muito obrigado que Deus abençoe você e sua família.

Fonte e matéria exclusiva do Portal BNC http://amazonas.bncamazonia.com.br/poder/cartas-de-presos-denunciam-corrupcao-de-diretores-do-compaj-pela-fdn/

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA