Manaus – Como parte do trabalho de preparação de ações de prevenção e controle ao coronavírus, a Prefeitura de Manaus, por meio de gestores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), participou na manhã desta quinta-feira, 30/1, de um encontro organizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com a comunidade aeroportuária, assim como da primeira reunião técnica com os integrantes do Comitê Estadual de Resposta Rápida para Vírus Respiratórios.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, a Semsa, por meio dos departamentos de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae) e de Atenção Primária (DAP), integra o comitê, instalado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) e Secretaria Estadual de Saúde (Susam), envolvendo também instituições como a Fundação de Medicina Tropical, Ministério da Saúde e Anvisa.

“As ações estão sendo realizadas para reforçar a integração entre os serviços na prevenção, controle, atendimento e tratamento das síndromes gripais. O comitê é formado por um grupo técnico com o objetivo de definir estratégias para minimizar o impacto das síndromes respiratórias e, caso necessário, garantir a preparação da rede de saúde para a possível circulação do coronavírus no Brasil”, destaca Marcelo.

O secretário lembra ainda que cada instituição que integra o comitê tem responsabilidades específicas no que se refere às ações de prevenção, controle, monitoramento, atendimento, tratamento e vigilância dos casos de síndromes gripais.

“Nesse período do inverno amazônico, é essencial reforçar as ações de prevenção para evitar o agravamento das síndromes gripais, o que é feito todos os anos. Existem planos de contingência em caso de risco de saúde pública como é a circulação do coronavírus, em todos os níveis de atenção, federal, municipal e estadual, e o que está sendo feito agora é alinhamento de fluxos e protocolos. É importante que a população saiba que as autoridades em saúde pública estão tomando todas as providencias possíveis para minimizar os riscos e que cada pessoa pode contribuir com medidas simples de prevenção, como lavar as mãos de forma frequente, utilizar lenço descartável, e cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir”, alerta Magaldi.

Aeroporto

Na reunião com a comunidade aeroportuária, realizada no aeroporto internacional Eduardo Gomes, por iniciativa da Anvisa, o foco foi a apresentação da situação atual epidemiológica do coronavírus no mundo, realizada por representantes da FVS-AM e da Semsa, além de informar sobre as medidas que estão sendo executadas.

A programação foi direcionada para profissionais da Infraero e trabalhadores do aeroporto que atuam em setores como limpeza, manutenção, segurança, empresas aéreas e Receita Federal.

“Com a comunidade aeroportuária, o trabalho neste momento foi esclarecer as dúvidas que surgem e orientar para as ações de prevenção, seguindo os protocolos existentes e indicados pela Organização Mundial da Saúde para o atual estado de risco, especialmente na identificação de pacientes com suspeita da doença”, informa a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa, Marinelia Ferreira.

Atendimento

Além das ações de Vigilância Epidemiológica que mantém o monitoramento e investigação de forma permanente de casos suspeitos e confirmados das Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG), a rede de Atenção Primária, que realiza o primeiro atendimento aos pacientes por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), também reforçou a preparação dos profissionais e a organização do processo de trabalho em cada UBS.

Segundo a diretora do Departamento de Atenção Primária (DAP/Semsa), Ângela Nascimento, todas as UBSs estão preparadas para acolher os pacientes com sintomas de síndrome gripal e fazer a avaliação de risco, identificando e priorizando os casos em que o paciente poderá apresentar complicações e evoluir para a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), encaminhando para os serviços de maior complexidade quando houver necessidade.

“O plano de ação da Semsa também inclui a intensificação das ações de Educação em Saúde nas UBSs e, com o apoio do Programa Saúde na Escola, atuação junto aos estudantes nas escolas estaduais municipais”, afirma Ângela.

A Semsa mantém 23 Unidades de Saúde como referência na dispensação da medicação com antiviral em casos de síndrome gripal, que pode ser disponibilizado, mediante receita médica da rede pública ou privada, aos pacientes com indicação clínica do profissional de saúde.

Desde o dia 27 de outubro de 2019, Manaus registrou 124 casos de SRAG, causadas por vírus como Influenza B, Adenovírus, Vírus Sincicial Respiratório, Parainfluenza 1 e Metapneumovírus.

Já na atualização do Ministério da Saúde sobre os casos notificados do coronavírus, até 29 de janeiro houve o registro de 7.818 casos confirmados pelo mundo, sendo 7.736 na China. São 170 mortes devido à infecção. No Brasil, há nove casos suspeitos ainda em investigação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quinta-feira, 30, que os casos de coronavírus 2019 n-CoV são uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

Atualmente, é considerado como um caso suspeito do novo vírus, os pacientes apresentando febre e, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, e que viajaram para área de transmissão local, a China, nos últimos 14 dias.