Borba – O prefeito do município de Borba (distante 181 quilômetros de Manaus) Simão Peixoto, contratou três empresas para fornecer material de limpeza e produtos de higienização pela bagatela de R$ 1.451.180,50 (um milhão quatro centos e um mil cento e oitenta reais e cinquenta centavos), o serviço vai atender às necessidades do Fundo Municipal de Saúde. A informação foi publicada no Diário Oficial da Associação dos Municípios, nesta quinta-feira (8).

O que chama a atenção é o alto valor para aquisição de material básico, a vigência do contrato é de apenas 12 meses.

A primeira empresa de razão social “B da C Batista”, com Cnpj 28.851.019/0001-60 foi contratada pelo valor de R$ 107 mil.

A segunda empresa “Du primo comércio de Gêneros Alimentícios”com Cnpj 84.489.434/0001-97 no valor de R$ 672 mil.

A terceira empresa é a “MM B Lopes” com  Cnpj 08.950.553/0001-17 por  R$ 672 mil.

De acordo com consulta realizada no site da Receita Federal, todas as empresas estão situadas no município de Borba.

Apesar da compra ter sido feita através de licitação presencial, o prefeito corre o risco de entrar na mira do Ministério Público Estadual (MP-AM).

Em março desde ano, Simão foi alvo de uma ação do MPF/AM por improbidade administrativa por descumprir a lei que determina que, no mínimo, 30% dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar (FNDE), deveria ser destinado para a merenda escolar e para a aquisição de alimentos da agricultura familiar.

Confira o extrato da publicação 

Edição: Ariana Clécia