Plínio Valério sobre nova CPI de Randolfe, Omar e Renan: “Não irei assinar e não assistirei de forma passiva”

Por Henrique em 14 de janeiro de 2022 às 19:27 | Atualizado 14 de janeiro de 2022 às 20:06 Plínio Valério sobre nova CPI de Randolfe, Omar e Renan: "Não irei assinar e não assistirei de forma passiva"

Amazonas – O senador Plínio Valério (PSDB-AM) divulgou vídeo na última quarta-feira (12/1) em que se posiciona contrário à proposta feita pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), aliado de Omar Aziz (PSD-AM) e Renan Calheiros (MDB-AL), de pedir uma nova CPI da Covid no Senado.

“Uma abertura de uma nova CPI quer dizer que aquela que aconteceu anteriormente não valeu ? A de dois meses atrás foi “brincadeira” ? Eu espero realmente (que o novo pedido) seja brincadeira. Não é o momento mais. Temos muitas coisas importantes para decidir no senado, como a reforma tributária e muitas outras coisas atrasadas. Além disso, eu tenho o pedido de CPI das ONG’s, pronta pra ser instaurada, mas que foi atropelada pelo ministro Barroso”, destaca o senador Plínio.

Confira: 

 

Nova postura

Apesar de ter sido uma das 34 assinaturas no momento da abertura da antiga comissão, em abril do ano passado, agora Valério assumiu postura rigidamente contra uma possível nova intromissão de Randolfe em inciativa com o ministro do STF Roberto Barroso.

“Eu espero que o senador (Randolfe) não recorra novamente ao ministro Barroso, porque ele é capaz de nesta loucura dele, de dar esse pedido e mandar instalar e vai atropelar a CPI das ONG’S e ai eu não posso mais assistir isso passivamente”.

Interação

Valério também interagiu com críticos ao pedido de instauração da CPI e concordou com um comentário que acusa os senadores de não estarem preocupados com a Saúde da população brasileira.

 

Teste de viabilidade

Questionado pelo portal CM7 sobre a informação que circula em outras mídias de uma pré-candidatura ao Governo do Amazonas, o senador do PSDB esclareceu que ainda não confirmou nenhuma pré-candidatura. Segundo o senador, o que haverá é uma “pesquisa de popularidade organizada em alinhamento com a direção nacional do partido” para apurar sua popularidade em relação aos demais pré-candidatos que já confirmaram o interesse pela disputa ao pleito do Governo do Amazonas em 2022.

“Eu penso que o alto índice de rejeição das opções e a falta de alternativas possa abrir outra via (ao governo). Então a gente vai fazer uma pesquisa pra ver se a minha impressão do que eu sinto nas ruas se constata ou não na pesquisa. Nesse cenário, é verdade que eu confirmei uma possibilidade e interesse de disputa, mas ainda é cedo para afirmar a viabilidade de qualquer pré-candidatura”.

 

Deixe seu comentário