Manaus – Com a chegada das eleições, o total de 11 nomes foram cotados para disputar o cargo de prefeito de Manaus, dentre esta lista, dois deles já ocuparam o cargo.

Um deles se destacou pelos escândalos envolvendo a sua gestão, estamos falando de Amazonino Mendes (Podemos).

O que indigna eleitores é o fato de que este já ocupou o mesmo cargo por três vezes, e permanece em busca de governar apenas para si mesmo, focando em ampliar seu capital. 

“Onde vai parar a ganância de Amazonino Mendes?”, comentou uma eleitora.

A rejeição do público no que diz respeito a candidatura de ‘Negão’, se deve às suspeitas de superfaturamentos em obras.

Entre os escândalos que envolvem o superfaturamento de Amazonino, podemos citar o caso que envolveu a empreiteira Emparsanco S/A. Onde foi acusado que os executivos da construtora teriam embolsado cerca de R$87 milhões da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminif), em 2010, para tapar buracos da cidade. No entanto, os envolvidos nunca conseguiram provar o que foi feito com a grande quantia em dinheiro. O caso segue sob investigação.

Diante das afirmações, um cientista político acredita que ‘Negão’ terá que enfrentar diversas situações desconfortáveis durante a sua campanha eleitoral.