Durante a sessão online desta terça-feira (01), do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), enquanto os desembargadores julgavam um processo da ordem do dia, o desembargador Aristóteles Thury, surpreendeu ao colegiado ao pronunciar a frase, “pegou porrada, lesa. Ela e o [desembargador Yedo] Simões”.

A sessão estava votando uma pauta sobre a promoção de oficiais por tempo de serviço e antiguidade. A desembargadora Socorro Guedes declarou que se sentiu “extremamente ofendida” com o comentário, e o desembargador Yedo Simões se pronunciou, afirmando que Aristóteles deveria ser censurado.

“Desembargador presidente, queria destacar que o desembargador Thury em pleno julgamento aqui, me ofendendo. Como se eu não pudesse votar uma divergência. Ele tá dizendo: ‘pega, levou porrada’ e tudo isso. Acho que merece uma censura esse posicionamento dele, que não deveria ocorrer entre nós desembargadores. Cada de um de nós tem o seu posicionamento e isso deve ser respeitado. Somos juízes, não somos crianças. Não estamos aqui para ofender ninguém”, reclamou Simões.

Por fim, o desembargador Domingos Chalub pediu calma no pleno e perguntou se Yedo aceitava as desculpas de Thury. “Desembargador Yedo, vossa excelência se sentiu ofendido na sua honra subjetiva. O desembargador Thury está pedindo desculpas. Vossa excelência dá como aceita as desculpas?”, questionou.

“Já expressei que dou, excelência. Sou um homem educado. Pertenço a um grupo de pessoas que tem valores morais. Não devo dar o mau exemplo”, finalizou Yedo.

O Tribunal de Justiça do Amazonas divulgou na última segunda-feira (31) que retomará, de forma gradual, o trabalho presencial em suas unidades a partir do dia 21 de setembro. A informação consta da Portaria n.º 1.753, disponibilizada no Diário da Justiça Eletrônico (DJe).

Fonte: G1