Conselheira Yara Lins emite nota de repúdio contra as acusações feitas pelo senador Omar Aziz

Por Bruno Almeida em 15 de julho de 2021 às 9:43 | Atualizado 15 de julho de 2021 às 9:45

Brasil – Nesta terça-feira (13), o senador Omar Aziz apresentou à Polícia Federal uma notícia-crime contra a conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Yara Lins. Na denúncia, Omar afirma que a conselheira deveria ser investigada por nepotismo, ocultação de bens, fraude, sonegação, advocacia administrativa e falsidade ideológica.

Diante das graves acusações de Omar, a conselheira emitiu nota de repúdio e afirma que o que o senador está fazendo é uma perseguição política, vazia de fundamentos jurídicos, baseada em uma narrativa fantasiosa de declarações e suposições de documentos incorretos, incompletos e de origem incerta, com o único objetivo de tentar macular a imagem dela.

A família da conselheira está supostamente sendo alvo de Aziz desde que o deputado Fausto Jr, filho de Yara Lins, depôs na CPI da Pandemia e relembrou a ‘Operação Maus Caminhos’, onde o senador Omar foi investigado por suspeita de participação no esquema criminoso que desviou mais de R$200 milhões da saúde do Amazonas.

Veja a nota da conselheira na íntegra: 

Recebi com indignação as tentativas de intimidação do senador Omar Aziz (PSD) contra mim e minha família.

Retidão é a palavra que define os meus 46 anos de vida pública. Nestes anos, combati a corrupção e a má gestão, sempre de forma a atender a legislação e os princípios da administração pública.

Como mulher, nascida numa geração com ainda mais preconceitos que a atual, estou habituada a provar a qualidade e a correção das minhas condutas profissionais, e graças à elas alcancei, pela primeira vez na história da instituição a qual sirvo, a mais elevada cadeira, a de Conselheira e, ainda, a Presidência.

Uma perseguição política, vazia de fundamentos jurídicos, baseada em uma narrativa fantasiosa de declarações e suposições de documentos incorretos, incompletos e de origem incerta, com o único objetivo de tentar macular minha imagem.

Mais uma vez travo batalhas e, como mãe de família e cristã, não me intimido. Tenho a consciência limpa, com plena confiança na justiça divina e do meu país.

Informo que as medidas judiciais cabíveis ao caso estão sendo tomadas. Defenderei minha honra e continuarei firme na minha atuação, fiscalizando o mau uso do dinheiro público de forma implacável.

Yara Amazônia Lins Rodrigues dos Santos.

Conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM).

Deixe seu comentário