Caso Flávio: Alejandro e Paola Valeiko serão interrogados nesta terça-feira (28), em Manaus

Por Meriane Jeffreys em 28 de setembro de 2021 às 7:41 | Atualizado 28 de setembro de 2021 às 8:51

Manaus (AM) – Continua nesta terça-feira dia, 28 de setembro, a audiência de instrução do assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, ocorrido em de setembro de 2019.  Está previsto para hoje o interrogatório dos filhos da ex-primeira dama, Elisabeth Valeiko.

Além dos réus Alejandro Molina Valeiko e Paola Molina Valeiko, serão ouvidos também José Edvandro Martins de Souza Júnior e Mayc Vinícius Parede. Todos são acusados de participarem do assassinato do engenheiro.

Oito testemunhas de defesa, que restam ser ouvidas desde julho, poderão depor hoje. A audiência está marcada para iniciar às 9h, de modo presencial, e deve prosseguir também pela quarta-feira, 29 de setembro.

Caso Flávio

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu no dia 29 de setembro de 2019, após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko. Segundo a polícia, os amigos estavam na casa de Alejandro Valeiko bebendo e usando drogas. De repente, começou uma discussão, seguida de agressões com facas. O engenheiro foi esfaqueado e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, Flávio Rodrigues foi encontrado morto no bairro Tarumã, na tarde de segunda-feira, 30 de setembro. O local onde estava o corpo fica próximo à casa de Alejandro.

De acordo com as investigações, o policial militar Elizeu da Paz de Souza, que estava lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e seria segurança de Alejandro, estava dirigindo um carro alugado da Prefeitura. A polícia diz que o PM Elizeu de Souza foi até o condomínio, colocou o corpo no carro da Prefeitura de Manaus e saiu do local da festa.

Lutador de MMA, Mayc Parede confessou sua participação no crime ao ser preso em 2019, alegando ser o culpado pelas facadas desferidas na vítima. Ele aparece em vídeos de segurança dando entrada no condomínio onde ocorreu o crime.

Alejandro cumpriu prisão temporária durante o inquérito policial, mas entrou com um recurso e conseguiu sair do presídio e ser monitorado por uma tornozeleira eletrônica. No entanto, atualmente o filho da ex-primeira dama não faz mais o uso de nenhum aparelho de monitoramento policial.

Paola Valeiko Molina, irmã de Alejandro, responde por fraude processual. Supostamente ela teria limpado o sangue de Flávio, que estava espalhado por vários cômodos da casa.

Após dois anos do caso, a família do engenheiro Flávio Rodrigues segue lutando por justiça.

 Leia também

Caso Flávio: familiares do engenheiro morto reúnem-se em frente ao fórum pedindo por justiça

Deixe seu comentário