Bomba: Arthur Neto é acusado de superfaturar em milhões limpeza de hospital de campanha e lavagem de roupas

Por Bruno Almeida em 18 de junho de 2021 às 17:25 | Atualizado 18 de junho de 2021 às 17:25

Manaus (AM) – O dono do grupo Samel, Luiz Alberto Nicolau, fez fortes denúncias acerca da gestão do ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, durante uma entrevista cedida ao Portal Foco no Fato. Segundo o empresário, o ex-prefeito e sua esposa, Elisabeth Valeiko, se aproveitaram da primeira onda da pandemia da Covid-19 para desviar dinheiro da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA).

O empresário, que buscando ajudar a população que estava morrendo à espera de leitos, se envolveu no projeto de administração do Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes, localizado no bairro do Lago Azul, na zona norte de Manaus. No entanto, Luiz deixou a gestão do hospital após observar uma série de irregularidades por parte do então prefeito, Arthur Virgílio.

De acordo com Luiz, a Prefeitura de Manaus contratou por valor exorbitante empresas de lixo e lavanderia, cujas prestações de serviços eram cerca de cinco vezes mais caras que o valor de mercado. Os contratos foram assinados em maio de 2020.

As empresas contratas pela Prefeitura de Manaus, que supostamente foram beneficiadas com o dinheiro público, são a J.P DE CASTRO – EIRELI e a LIMPAMAIS SERVIÇOS DE LIMPEZA EIRELI-EPP.

Segundo dados disponibilizados no Portal da Transparência da Prefeitura de Manaus, a J.P prestava serviço de lavanderia ao Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes. Ela foi contratada pelo montante de R$1.287.000,00 (um milhão, duzentos e oitenta e sete mil reais) pelo período de 180 dias.

A LIMPAMAIS, apesar de ter sido contratada também pelo período de 180 dias, recebeu mais dinheiro público que a empresa anterior. Foi destinado à empresa de limpeza o valor de R$1.507.675 (um milhão, quinhentos e sete mil, seiscentos e setenta e cinco reais e setenta e quatro centavos).

Ambas as empresas foram contratadas para fazerem o serviço por quilo, mas o hospital não tinha sequer balança para fiscalizar o trabalho milionário que foi pago.

“O lixo, pra você ter uma ideia, ele era por quilo, mas não tinha balança. A mesma coisa era com a lavanderia”, afirmou o empresário Luiz Alberto Nicolau.

De acordo com informações, a LIMPAMAIS tem ligação direta com a empresa Norte Ambiental Tratamento de Resíduos Ltda, que pertence a Sérgio Roberto Melo Bringel.

Bringel é um dos nomes mais envolvidos em escândalos na sociedade amazonense. O empresário chegou a ser preso em 2014 pela Polícia Federal, durante a ‘Operação Cash Back’, que foi a quarta fase da Operação Maus Caminhos, que investiga fraudes e desvios de verbas públicas na Saúde do Estado.

Diante do suposto esquema de corrupção exposto pelo empresário Luiz Alberto Nicolau, a sociedade anseia por justiça e solicita que o ex-prefeito seja convocado para depor na CPI da Pandemia, no Senado Federal, e que a Polícia Federal investigue todas as irregularidades que foram feitas no Hospital de Campanha Municipal Gilberto Novaes.

Veja vídeo: 

Veja os contratos completos clicando nos links abaixo:

JP CONTRATO

LIMPA MAIS CONTRATO

 

Deixe seu comentário