Manaus – A anosmia ou hiposmia (perda de olfato) e disgeusia (perda do paladar) são alguns dos sintomas mais comuns da covid-19, ocorrendo até com mais frequência que outras manifestações características da doença como tosse, febre e cansaço, e têm auxiliado no diagnóstico inicial de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Isso ocorre porque o Sars-Cov-2 afeta as células olfativas, localizadas na mucosa nasal, criando um escudo ou barreira olfativa, impedindo essa células de enviar as informações de olfato para o cérebro. Com o olfato alterado, o efeito colateral associado é a mudança do paladar, isso porque o sabor vem através de informações sensoriais produzidas no contato do alimento com a língua, mas também acontece através do olfato que se juntam e dão a sensação de paladar.

Um estudo recente com 2.013 pacientes de 18 hospitais europeus aponta que esses sinais podem ser muito mais comuns do que se pensava em casos de coronavírus e constatou que 87% dos pacientes estudados perderam o olfato e 56%, o paladar, que acontece de forma súbita e total após o quarto dia do início dos demais sintomas, que de modo geral restringiram-se a febre e tosse.

Esse pacientes enfrentaram a forma menos grave da doença. Apenas 8% deles foram hospitalizados e a maioria apresentou sintomas por 11 dias e meio. A boa notícia é que é possível recuperar tanto o sentido do olfato quanto o do paladar. Esse processo transcorre em torno de 60 dias, porque, uma vez superada a doença, a maioria dos pacientes recuperam o olfato em até dois meses.

Depois da perda de olfato, o sintoma mais comum observado no estudo foi a dor de cabeça, relatada por 70,1% das pessoas. Outros sintomas associados são:

Perda parcial ou total de olfato – 87,2%
Dor de cabeça – 70,1%
Entupimento nasal – 64,2%
Dores musculares – 61,8%
Coriza – 59%
Tosse – 58,4%
Problemas no paladar – 56,4%
Dor de garganta – 51,6%
Perda de apetite – 47,5%
Gotejamento pós-nasal – 47%
Dificuldade de respirar – 46,2%
Dor no rosto -43,3%
Diarreia e dor abdominal – 42,3%
Febre – 40,6%
Dor nas articulações – 39%
Disfonia – 26,7%
Dor de ouvido – 25,3%
Disfagia – 20,6%
Náusea/vômito- 18,7%
Catarro – 14,4
Dor no peito – 9,2%

Dr. Ewerton Wanderley
Médico generalista do SUS e voluntário da Cruz Vermelha Brasileira do Amazonas.