O Delegado de Polícia – Leonardo Marinho, da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações, alerta a população sobre 2 (dois) golpes comuns aplicados por golpistas em Manaus, e no Brasil.

Primeiro, o “Falso Sequestro”, o golpista via chamada telefônica consegue extrair informações repassadas pela pretensa vítima. O criminoso liga de forma indiscriminada para vários telefones e, quando é atendido, afirma que está com um parente da vítima. Diante da situação de estresse que a vítima reage, o sequestrador exige dinheiro para o resgate. Os bandidos, simulam violência física, ameaças e tortura contra o “falso parente” da pretensa vítima, a qual sente pânico e acaba cedendo à pressão dos golpistas ao telefone, com isso, crê que os criminosos sequestraram seu parente.

Neste golpe, o criminoso mantém o contato com a vítima todo o momento, para não deixar que ela desligue o telefone ou entre em contato com seu parente, pois a vítima ligar para seu parente e descobrir que está sendo vítima de um golpe.

O que a pretensa vítima deve fazer? A pessoa deve perguntar por alguma coisa que só o filho ou filha saberia, por exemplo, o nome do animal de estimação ou outro lugar em que tenham morado anteriormente. Antes da confirmação não se deve tentar negociar com os criminosos ou fazer qualquer depósito em dinheiro.

Segundo golpe, o “Carro com falso problema mecânico” ou “Bença Tia”, geralmente o golpista de dentro do presídio, efetua diversas ligações de forma aleatória e, quando é atendido, fala “bença tia(o)”, o criminoso diz que é parente da vítima, em regra sobrinho, e diz que o carro estragou na estrada e que necessita de dinheiro, pois esqueceu sua carteira em casa, assim, solicita a vítima que deposite o dinheiro na conta do mecânico para consertar o veículo ou para guinchá-lo.

A vítima confia que seu parente encontra-se com problemas, e com a vontade de ajudá-lo, realiza o depósito ou a transferência bancária. Em outra variante do crime, o golpista solicita a pretensa vítima que coloque crédito no seu celular, em regra, diz que é para fazer contato com a seguradora e/ou com parentes.

Diante disso, o que fazer para evitar cair no golpe? É de suma importância que a pretensa vítima, verifique se o número do telefone que recebeu a ligação é o mesmo do sobrinho/parente, antes de realizar a transferência ou o depósito do dinheiro. Além disso, a pretensa vítima deverá fazer contato por outro telefone com o sobrinho, seus familiares ou amigos para verificar a procedência das informações.

E por fim, caso desconfie, não faça nenhum depósito ou transferência, e dirija-se ao DIP mais próximo para registrar o boletim de ocorrência.

@deltaleonardomarinho