As duas faces do poder - O Poder de Deus ou o Poder dos homens? - Portal CM7
 
Manaus, 07 de janeiro 25 ºC Alguns chuviscos
Mercado financeiro
Dólar R$ 3,2336 -0,01%
Euro R$ 3,8857 -0,45%
 
 
Home / Colunas / Como Construir um Mundo Melhor / As duas faces do poder – O Poder de Deus ou o Poder dos homens?

As duas faces do poder – O Poder de Deus ou o Poder dos homens?

Artigo do colunista Arimateia Viana.

Da redação | 12/12/2017 12:34

Foto: Reprodução

Autoridade é, uma forma de dominação, ela exige e requer a obediência de outrem. Do termo latino autoridade é um sinônimo de poder. É à base de qualquer tipo de organização hierarquizada, sobre tudo no sistema militar e político. É uma espécie de poder continuado no tempo estabilizado, é o direito de decidir, de atuar e de se fazer obedecer.

Contudo, podemos entender que a civilização humana é regida por princípios dos quais requer observância irrestrita aos códigos normativos, esses, por sua vez, se caracterizam por um conjunto de regras criadas para estabelecer direitos e deveres, no senso comum chamamos isso de “contrato social”, mas na práxis da vida civil chamamos isso de leis. As leis estabelecem autoridade ad hoc sobre nossas vidas.

Sem dúvida nenhuma, Deus é o Criador do universo e tudo que nele há, Ele por sua vez, deu ao homem o livre árbitro, e neste caso, cada indivíduo é livre para pensar, decidir e agir de acordo com suas convicções.  Entretanto muitos têm usado dessa liberdade e autoridade para deturpar, ou violar alguns princípios básicos considerados de grande relevância para sociedade, e passam por cima das regras agindo de modo independente tornando-se líder de si próprio, esquecendo-se que acima dele existe uma autoridade suprema.

Muitos destes homens vivem, dentro de um sistema corrompido que visa sempre um antagonismo deliberado. Esse sistema procura sempre ocultar a verdade e expor a mentira bem como escancarar a face das ilusões, que consistem em uma panaceia para a predominância do egocentrismo social e aparente.

Tais conceitos aparecem como elementos centrais na configuração do sistema de poder capital. O que tem poder de beleza física, corporal, por sua vez, ganham destacados aplausos em ordem sempre crescente no universo das fantasias e esses passam a dominar as classes que em suas visões deturpadas as classificam como de menor valor.

Muitas dessas classes até usem de sua autoridade de forma violenta abusando do poder que lhes fora outorgado, utilizando-se de critérios particulares para fazer valer a sua vontade de forma egocêntrica no sentido de aplicar genericamente suas ideologias de cunho depreciadoras dos diversos valores mais sensatos.

Deus nos deu autoridade para que essa possa ser usada de forma correta, mas o sistema mundial tenta tirá-la, principalmente no que diz respeito aos pais e educadores, pois os seus agentes elaboram leis que favorecem um sistema corrupto depreciadores de valores axiológicos, com claro objetivo de mudar padrões familiares, e isso tem contribuído para uma sociedade omissa de suas responsabilidades cívicas e morais, o que culminou em vários desequilíbrios sociológicos.

É preciso entender que, para vivermos em sociedade e os grupos existirem eficazmente, torna-se necessário a figura de líderes que prezem pelos princípios da Palavra de Deus, em concordância com o que diz a Bíblia, que, “feliz é a nação cujo Deus é o Senhor”. Partindo desse princípio, torna-se necessário que haja uma liderança claramente identificada.O homem não pode ser comparado á Deus em autoridade e em poder, pois o poder que possui, foi dado por Ele, para ser exercido de forma correta.

A licenciosidade para violações de regras tem sido comum na história da humanidade, e muitos têm usado desta liberdade ou autoridade para menosprezar os menos favorecidos, passando por cima dos mandamentos de Deus, invocando para si a glória e adoração, colocam-se em lugar do Criador, como se isso fosse possível, mas vale destacar que a autoridade máxima e suprema vem de Deus.

Existem aqueles, que acham que tem poder sobre tudo, esses, portanto, usam de vários artifícios de manipulação popular objetivando se perpetuar no poder e se identificam como deuses de si próprio, os tais são arrogantes e desprovidos de humildades e não conhecem a sua essência no seu caráter mais ortodoxo, pois se a conhecesse, reconheceriam que todos nós somos iguais perante Deus e perante as leis.

José de Arimateia Viana

  • Escritor e Palestrante
  • Bacharel e Mestre em Teologia
  • Administração em Recursos Humanos
  • E-mail: moreiragsm@yahoo.com.br
  • ou deixe seu comentário nowww.portalcm7.com

 

{{post.date}}

 


Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie nas Últimas Notícias

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA

  Colunistas

 

  Últimas Notícias