Prefeito de Caapiranga é cassado por desviar dinheiro ilegal dos cofres públicos
Manaus - Amazonas - 03:39
20 de Julho de 2019

C/S PI 5577 - EFTIVAÇÃO DE MIDIA/BANNER / CAMPANHA NOVAS MEDIDAS - FASE I / SECOM / PORTAL CM7


Prefeito de Caapiranga é cassado por desviar dinheiro ilegal dos cofres públicos

Foto Divulgação



Manaus – Nessa última terça-feira, 6, a Câmara Municipal de Caapiranga-AM cassou por maioria dos votos os mandatos de Prefeito Antônio Lima e do vice-prefeito Moisés da Costa Filho. A denúncia foi levada ao Plenário da Câmara Municipal pela Comissão Processante. O  Prefeito é acusado de repassar para Moisés R$. 3.000,00 em dinheiro, R$ 4.000,00 para a mulher dele e R$. 2.000,00 para o filho, mensalmente. Em outras palavras, Antônio recebia quase R$ 10 mil indevidamente dos cofres públicos.

O Prefeito ainda afastado e cassado judicialmente do cargo, conseguiu acesso as contas bancárias do município e transferindo, ilegalmente, R$. 231.000,00 do Fundo Municipal de Saúde, R$. 41.000,00 do FUNDEB e $ 197.000,00 do Fundo de Participação dos Municípios.

O prefeito ainda é acusado, pelo desfalque R$ de 412.623,21 do Fundo de Previdência dos Servidores Públicos da Prefeitura Municipal de Caapiranga, além de reter dos servidores públicos municipais valores referentes a empréstimos consignados junto a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 227.824,10, fraudar licitação que contratou indevidamente a empresa Américo Alves Viana Eirelle, no valor de R$. 64.500,00.

O vice-prefeito Moisés seguindo o mesmo rumo, ainda é acusado de sacar na boca do caixa do banco Bradesco, R$ 387.774,64, ilegalmente. Por unanimidade pelo TRE/AM os dois já estavam cassados e aguardavam o resultado de recurso do TSE em Brasília.

Com a decisão da Câmara Municipal de Caapiranga, o Vereador Francisco Andrade Braz permanece no cargo de Prefeito Municipal, agora de forma definitiva.

Direito de resposta:

A redação entrou em contato com a assessoria da Prefeitura através do número (92) 99259-7805, mas não deram nenhum posicionamento. Deixamos o espaço para o direito de resposta.

Conforme a lei 13.188/2015, Art. Aclarando ao ofendido em matéria divulgada o resguardo a direito de resposta.

Deixe seu like:

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA