Manaus – A próxima fase da Operação ‘Maus Caminhos’ deverá pôr na cadeia pelo menos três velhos suspeitos de envolvimento em esquemas de desvio de dinheiro público no Amazonas. São eles: O Marqueteiro Egberto Batista e os empresários José Lopes, conhecido como Zé Lopes, e Francisco Cameli Messias, conhecido como Chiquinho Messias, dono da empresa Juruá Estaleiro.

Os nomes dos três aparecem em quase todos os depoimentos de investigados na Operação ‘Maus Caminhos’, principalmente no depoimento do ex-governador José Melo (Pros), que está preso preventivamente no Centro de Detenção Provisória Masculino II, em Manaus.

Conhecido nacionalmente após se tornar marqueteiro de Fernando Collor de Melo na campanha presidencial de 1989, Egberto Baptista Miranda se instalou no Amazonas no Governo Omar Aziz, no qual, embora não ocupasse nenhuma cargo, ele tinha grande poder, que assim o manteve também no Governo José Melo.

Já Zé Lopes é uma espécie de caixa preta dos governos de Amazonino Mendes, Eduardo Braga, Omar Aziz e José Melo. A próxima fase da Maus Caminhos deve ser deflagada até o fim de março deste ano.

Fonte: Portal do Zacarias