O candidato Artur Neto, enviou uma carta ao Radialista Ronaldo Tiradentes, e nela expressa sua indignação contra o debate que ocorrerá na emissora. No texto, o Artur Neto, destacas os motivos de sua ausência: O fato, é que como o Proprietário da Rede Tiradentes apoia Marcelo Ramos, o debate seria vantajoso ao adversário.

Afirma ainda, que as pesquisas equivocadas, e a cobertura não adequada no dia 02 de outubro, são motivos de sobra para sua ausência, e isso, cabe também as outras empresas midiáticas. Portanto, para o Artur, a democracia precisa estar acima de tudo, e a imparcialidade, é a maior arma que um comunicador possa ter.

Segue abaixo a carta de Artur Neto ao Radialista Ronaldo Tiradentes.

Prezado radialista Ronaldo Tiradentes, antes de tudo formulo votos de muita felicidade pessoal a todos os seus.

Registro, então, que considero verdadeiro avanço civilizatório um órgão de comunicação optar por uma candidatura. Isso acontece frequentemente nos Estados Unidos, através de manifestações de veículos como Washington Post, New York Times e outros do mesmo peso e tradição de respeitabilidade.

Isso, ao invés de significar parcialidade e falta de isenção, leva a uma necessária postura de equilíbrio no trato do espaço e do convívio com candidaturas contrárias ao pensamento da direção do órgão. Eis porque deixo de comparecer ao debate proposto pela Rede Tiradentes, que visivelmente apoia, desde o primeiro turno, o postulante ora oposto a mim nesta etapa decisiva: pesquisas equivocadas; cobertura não adequada até mesmo no próprio dia da eleição de 2 de outubro último.

Sucessivos movimentos a favor de uma candidatura não oficialmente assumida. Postura visivelmente contrária à postulação que encarno, representando o pensamento de forte parcela da população manauara. Afinal, luto por uma reeleição que permita o prosseguimento da redenção da nossa cidade, trilhando um combate que precisa ser efetivamente democrático, sempre por caminhos efetivamente seguros e responsáveis.

Asseguro-lhe que esta decisão não se aplica apenas a sua rede. É aplicável a quem mais não se esteja pautando pela isenção tão necessária ao amadurecimento da democracia brasileira.

Saiba, aliás, que campanha eleitoral não é suficiente para abalar o apreço que lhe dedico e a sua família, a começar pelo amigo Rui. Sigo apenas o caminho que me parece mais adequado para expor minhas ideias, prestações de contas e propostas, num clima que seja, pura e simplesmente, isento e propício a uma aferição justa pelos eleitores da cidade que todos amamos. Cidade pela qual abandonei a carreira diplomática, trocando, com enorme convicção, uma vida no exterior, pela honra de amar, sorrir, chorar, sorrir, sofrer e vencer nesta terra e ao lado deste povo.

 

Cordiais saudações.

Artur Virgílio Neto