O governador Wilson Lima lançou, neste domingo (29/09), a 41ª Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro), durante a Cavalgada Solidária pelas ruas do Parque das Laranjeiras. Durante o evento, na Hípica Nilton Lins, o governador afirmou que a feira vai apresentar o potencial do Amazonas e movimentar a economia do estado. Ela não era realizada havia seis anos.

“É uma Expoagro com a cara do povo desse estado. Não vamos repetir as feiras realizadas em outras regiões do Brasil porque temos produtos com grande potencial para exportação, produtos que são únicos, e vamos começar a agregar valor dessas cadeias que tanto precisam não só do apoio do Governo do Estado, mas do Governo Federal e, sobretudo, do setor privado”, afirmou o governador.

Wilson Lima destacou ainda que irá montar um gabinete dentro da feira, onde serão atendidos produtores da capital e do interior.

“A realização desse evento é um trabalho de resgate da autoestima do pequeno produtor, do médio produtor, do pecuarista, do agricultor, daquelas pessoas que estão fazendo um grande esforço para colocar alimento na mesa”.

O governador do Amazonas ainda acrescentou que o Governo está construindo um novo momento no setor primário, que tem papel fundamental na retomada da economia do estado.

“Eu tenho uma preocupação muito grande em desenvolver o estado como um todo, e vejo o setor primário como uma das matrizes econômicas mais fortes, por meio da qual podemos ter um resultado muito grande, com possibilidades como, por exemplo, na piscicultura e em manejos florestais”, comentou. “A despeito do que acontece Brasil afora, onde a economia está andando de lado, no Amazonas temos incrementado as atividades econômicas, resultado desse aumento no Polo Industrial de Manaus, mas também é parte do investimento que estamos fazendo no setor primário”.

Interior – O secretário de Estado da Produção Rural, Petrúcio Magalhães Júnior, reforçou que a ação do Governo é mais um incentivo aos produtores e à realização de mais feiras agrícolas, tanto na capital quanto no interior.

“Tudo isso é fruto de planejamento a partir do Plano Safra, que foi lançado em junho e estabeleceu o que era necessário para retomar a Expoagro, assim como as feiras no interior, com as quais já passamos por Manicoré, Boca do Acre, Apuí, Humaitá e Autazes”, afirma o titular da pasta. “Isso motiva o produtor e incentiva empreendedores a investir no agro. É preciso começar a potencializar outras matrizes econômicas”.

Expoagro – A 41ª Exposição Agropecuária do Amazonas terá sua abertura oficial no dia 3 de outubro e seguirá com programação até o dia 6 de outubro, na área externa do Centro Universitário Nilton Lins, com entrada gratuita.

A Expoagro envolve agricultores, pecuaristas, pescadores, piscicultores, extrativistas, artesãos, comerciantes, empresários em geral, e sua última edição aconteceu em 2013. Neste ano, estima-se a participação de cerca de 200 expositores, entre eles empresas do setor, comerciantes de alimentos e bebidas, expositores de animais e da agricultura familiar, com movimentação financeira superior a R$ 30 milhões, o que torna o evento fundamental para gerar a interiorização do desenvolvimento.

Solidariedade – A Cavalgada Solidária aconteceu na manhã deste domingo (29/09) e arrecadou alimentos que serão doados a entidades credenciadas pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). Mais de 100 cavalos e seus donos fizeram um percurso que saiu da Hípica Nilton Lins e seguiu pela avenida Professor Nilton Lins e rua Barão de Indaiá, no Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus.

Plano Safra – Na ocasião, o governador destacou o Plano Safra, que destina cerca de R$ 350 milhões para atender produtores rurais, incluindo agricultores familiares, pescadores, extrativistas e indígenas do Amazonas. Os recursos contemplam ações de estímulo à atividade agropecuária, oferta de assistência técnica e crédito, e apoio à comercialização.

As cadeias prioritárias são de fruticultura (abacaxi, cupuaçu, banana, citros, açaí e guaraná); mandioca; café; juta e malva; avicultura; pecuária de leite e corte; piscicultura e pesca artesanal; milho; soja; feijão; castanha; óleos; borracha; piaçava; madeira em manejos simplificados; agroecologia e produtos orgânicos.

O Plano Safra Amazonas 2019/2020 tem a integração de diversos órgãos e instituições estaduais, municipais e federais, liderados pelo Sistema Sepror e suas vinculadas: Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (Idam) e Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf). Conta com a parceria da Afeam, da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), do Banco da Amazônia e do Banco do Brasil.