Amazonas – Em busca de garantir a funcionalidade e recuperar espaços deteriorados, as obras de revitalização dos parques residenciais do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), executados pelo Governo do Estado por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) chega ao Parque Residencial Gilberto Mestrinho, localizado na Cachoeirinha, zona sul de Manaus.

Atualmente, a obra se encontra em sua primeira etapa, com as equipes de trabalho realizando troca de grama, reconstrução das calçadas, pintura dos bancos, capina e a limpeza das áreas comuns. A reforma ainda contemplará, em suas próximas etapas, a instalação de novos equipamentos para a academia ao ar livre e para o playground infantil.

As revitalizações buscam corrigir problemas pontuais causados pelo mau uso, falta de manutenção e acúmulo de lixo, devolvendo assim a qualidade de vida aos moradores e a funcionalidade das estruturas do parque residencial Gilberto Mestrinho.

A aposentada, Maria Nazaré, 57, afirmou “que a reforma veio em uma boa hora, porque algumas partes do residencial se encontravam bastantes deterioradas. Tem moradores que entram com seus veículos dentro do residencial, e isso acaba contribuindo para as calçadas quebrarem”.

Residencial Gilberto Mestrinho – Inaugurado na segunda fase do Prosamim, o residencial foi entregue em 2010, dispondo de 372 unidades habitacionais e reassentando aproximadamente mais de 1.800 pessoas que viviam nesse trecho do igarapé do 40.

Manutenção dos parques residenciais – Além do Gilberto Mestrinho, outros parques residenciais vão ser contemplados com requalificação. São eles: residenciais Mestre Chico e Manaus, localizados no Centro da cidade; residencial Cachoeirinha, localizado no bairro da Cachoeirinha; residenciais Liberdade e Jefferson Peres, ambos localizados no Morro da Liberdade; e residencial Cajual, localizado no Santa Luzia.

“O Governo do Estado vem atuando para restaurar toda a funcionalidade dos espaços construídos pelo Prosamim, no intuito de devolver esses espaços aos beneficiários do programa, e finalmente fazermos o repasse dessas áreas para que o poder municipal receba essas áreas e se encarregue das manutenções periódicas”, afirmou o coordenador executivo da UGPE, engenheiro civil Marcellus Campêlo.

Com informações da Assessoria.