CM7

 
Manaus, 24 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Amazonas / PIM / Leilão do maior diamante extraído em um século fracassa

Leilão do maior diamante extraído em um século fracassa

Da redação | 30/06/2016 11:30

LONDRES — Um diamante bruto de 1,109 quilates poderia despertar o interesse dos mais extravagantes milionários do mundo. Mas a pedra preciosa, que os especialistas calculam ter mais de 2,5 bilhões de anos, frustrou as expectativas da casa Sotheby’s, encarregada de operar o leilão do Lesedi la Rona.

Em Londres, na noite da quarta-feira, o maior lance pela aquisição da pedra foi equivalente a R$ 196 milhões — abaixo do mínimo estipulado de R$ 230 milhões de reais. Um revés significativo para a mineradora Lucara Diamond Corp, proprietária da mina em que a pedra foi escavada, que não informou se vai tentar vendê-la novamente. Depois do fracasso, as ações da companhia na bolsa de Toronto tombaram 14%.

Trata-se do maior diamante bruto extraído em mais de um século, o maior a ser leiloado, de tamanho semelhante a uma bola de tênis: mede 6.6 x 5.5 x 4.2 centímetros. O diretor da divisão de joias da Sotheby’s, David Bennett, afirmou à BBC que a escavação do Lesedi la Rona era o “achado de uma vida”.

“Todos os aspectos desse leilão são sem precedentes. Ele não é apenas superlativo em tamanho e qualidade, mas nada dessa escala foi a leilão antes”, exaltou o diretor em referência ao diamante, descoberto em Botswana, na África, em novembro.

O Lesedi la Rona integra um subgrupo das pedras preciosas que respondem por apenas 2% dos diamantes encontrados no mundo. Daí a singularidade da joia: faz parte da categoria de química mais pura e famosa pela transparência ótica. O Instituto Gemológico dos Estados Unidos confirma que a cor e a translucidez da peça são característicos das gemas tipo IIA.

O Lesedi la Rona não bate todos os recordes porque perde em tamanho para o Diamante Cullinan Diamond, de 3,106 quilates, que foi partido em nove peças — uma delas, o atual maior diamante lapidado do mundo, chamado Grande Estrela da África. Extraída na África do Sul em 1905, a peça-mãe foi entregue de presente ao rei Eduardo 7º, da coroa britânica, que ainda detém as unidades.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA