Manaus – Nesta terça-feira (13), Polícia Federal (PF), pede prorrogação da prisão temporária dos envolvidos na segunda fase da Operação Sangria.  A ação foi deflagrada no dia 8 de outubro e resultou na prisão de cinco pessoas da cúpula do governo do Estrado.

No desdobramento da Operação Sangria, o ex-secretário de Saúde Rodrigo Tobias de Souza Lima, a ex-secretária executiva de Saúde da Capital Dayana Priscila Mejia de Souza, o engenheiro clínico Ronald Gonçalo Caldas Santos, e os empresários Luiz Carlos Avelino Júnior e Gutemberg Leão Alencar, foram os presos pela Polícia Federal (PF).

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal investiga a compra superfaturada de 28  ventiladores pulmonares durante a pandemia do novo coronavírus.