Manaus – Josias de Oliveira Alves foi condenado a três anos e nove meses de prisão pelo homicídio culposo (sem intenção de matar) do seu filho de quatro meses. Os jurados que compuseram o Conselho de Sentença da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus também o culparam por lesão corporal.

Na ação penal, Josias de Oliveira Alves era acusado do homicídio do filho, à época com quatro meses, que foi jogado ao rio após uma briga entre ele e a mãe da criança, Cleudes Maria Batista. A criança morreu. O caso aconteceu em 2015.

O júri durou um dia e meio, onde foram ouvidas testemunhas e a vítima, mãe do bebê. Josias era acusado, também, por tentativa de homicídio quintuplamente qualificado em relação à ex, mas foi absolvido.

A sessão de Julgamento Popular foi presidida pelo juiz de direito titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Celso Souza de Paula e teve início nesta quarta-feira (19). A sentença saiu no fim da tarde desta quinta.

Josias de Oliveira Alves teve em sua defesa os Christian Araújo, Suzane Rodrigues e Suellen Botelho, sendo que o Ministério Público do Estado do Amazonas foi representado pelo promotor de justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), Luiz do Rego Lobão Filho.

A Sessão teve início às 9h45 de quarta-feira, 19, no Plenário do antigo auditório da Esmam no Fórum Ministro Henoch Reis. No primeiro dia de julgamento foram reproduzidos áudios de testemunhas que foram ouvidas na fase de instrução do processo, ouvidas duas testemunhas, uma vítima (Cleudes Maria Batista) e o réu Josias de Oliveira Alves.

A Sessão foi suspensa às 17h30 e recomeçou às 9h30 desta quinta-feira, 20, com os debates acontecendo no plenário principal do Fórum Ministro Henoch Reis. A primeira fase dos debates durou até as 12h20, quando iniciou a réplica e, sem seguida a tréplica. Às 14 h o plenário foi esvaziado para a votação dos jurados e, às 14h30 foi lida a sentença. Como Josias Oliveira respondia ao processo em liberdade o magistrado Celso Souza de Paula manteve-o em liberdade enquanto recorre da sentença.

Entenda o caso

Josias de Oliveira Alves é acusado de jogar o filho de quatro meses, Pablo Pietro, no Rio Negro, após uma briga com a mãe da criança, Cleudes Maria Batista, em agosto de 2015. Segundo a polícia, o casal teria discutido por causa do pagamento de pensão alimentícia.

Na noite do crime, a mulher, que morava em Manacapuru, a 68 km de Manaus, teria viajado para a capital para conversar com Josias sobre o valor da pensão do filho. Os dois se encontraram na área do Porto de São Raimundo, onde ele trabalhava fazendo travessias. Ela entrou no barco e, quando estavam no meio do rio, ele teria tentado matar a mulher.

Fonte G1