Manaus (AM) – Na manhã desta quinta-feira (24), o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, realizou uma coletiva de imprensa para anunciar as novas medidas de prevenção contra o novo Corona vírus na região. O anuncio, que decretou novamente o fechamento de parte do comércio por 30 dias, aconteceu na sede do governo do estado, localizada na avenida Brasil, bairro Compensa, zona Oeste da capital. 

Durante o anúncio do novo decreto, o governador destacou que as medidas foram tomadas após registros de novos casos de infecção por corona vírus, em grande parte, entre as classes A e B. “A análise dos novos casos registrados da doença, nos mostra que o número de infectados vem novamente crescendo entre pessoas de classes com um poder aquisitivo um pouco maior. O resultado dessa análise nos mostra que a flexibilização das interdições infelizmente fez com que as pessoas afrouxassem as prevenções, e a gente percebeu isso acontecendo em dezenas de festas que seguiam funcionando sem os cuidados sanitários necessários.”, destacou Wilson Lima. 

O decreto confirmou que a partir desta sexta-feira (25/9) a maior parte do comércio e eventos volta a estar expressamente proibido sob risco de detenção dos responsáveis por meio das forças policiais. Ficam novamente proibidos os funcionamentos de bares, casas de show, flutuantes, praias e boates. Serão permitidos somente a realização de eventos considerados “sociais” como, por exemplo, batizados, formaturas e casamentos, com a presença de até duzentas pessoas e também com licença legal para o funcionamento das reuniões, além do cumprimento de medidas de prevenção. 

Ainda durante a coletiva de comunicação na sede do governo, Wilson Lima anunciou que as aulas do ensino fundamental devem ser tomadas de forma presencial a partir do mês de outubro, seguindo todas as medidas sanitárias. “Eu não vou permitir que as baladas continuem abertas enquanto as escolas estão fechadas. Não vou prejudicar os jovens e crianças que muitas vezes dependem da estrutura social, emocional e até alimentar que recebem dentro das unidades de ensino.”, destacou o governador. 

O novo decreto que inicialmente deve durar um prazo de 30 dias, deve ser reavaliado após o término do prazo e análise das consequências do novo tempo de isolamento.