Amazonas – Para marcar a data que celebra o Dia do Agricultor, o Governo do Amazonas realiza, nesta terça-feira, 28, a entrega do Crédito Emergencial concedido aos feirantes vinculados à Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS). O benefício é fruto de parceria da ADS com a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) que disponibilizou empréstimos de até R$ 21 mil aos empreendedores interessados no benefício.

Ao todo, 56 agricultores dos ramos de laticínios, hortaliças, frutas, ovos e condimentos foram contemplados com o recurso. De acordo com o presidente da ADS, Sérgio Litaiff Filho, o auxílio vai possibilitar a potencialização das produções e o aquecimento das vendas no segundo semestre deste ano.

“A ação de amanhã (28/07) representa, acima de qualquer coisa, a dignidade dos agricultores. Mesmo na pandemia, nosso governador Wilson Lima teve a sensibilidade e a preocupação com o setor primário. A agricultura familiar não ficou esquecida, uma vez que foi determinada a aquisição de produtos oriundos dos agricultores vinculados à ADS. Vai gerar um incremento de valores e potencializar a produção, com condições melhores após essa pausa (durante a pandemia), com um retorno digno mediante capital de giro, proporcionando um trabalho melhor para quem vive das feiras e do campo”, destacou.

A Afeam realizou 67 atendimentos aos feirantes, dos quais 56 recebem o Crédito Emergencial, totalizando R$ 358,6 mil. Para o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinicius Castro, a parceria da Agência e da ADS ampliará o alcance do Crédito Emergencial.

“Tivemos um retorno muito satisfatório nesta primeira ação e, a partir de agora, vamos expandir a todos os municípios do interior do estado, por meio das Feiras administradas pela ADS. Esta iniciativa garante que a linha do Crédito Emergencial chegue a todos que precisam de um fôlego financeiro”, disse ele.

A linha de Crédito Emergencial para os feirantes da ADS contará com financiamentos de R$ 5 mil (sem avalista) até R$ 20 mil (com avalista). Esta linha de financiamento prevê até 180 dias para começar a pagar, com a menor taxa de juros anual do país, equivalente a 6%.