Manaus – Pela primeira vez uma empresa concessionária de abastecimento de água e saneamento básico expande a rede de distribuição de água para residências construídas em áreas de rip-rap na capital. Na manhã desta quarta-feira, 10/7, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, acompanhou o trabalho que está sendo feito pela Águas de Manaus na rua Santa Maria, bairro Compensa, zona Oeste, beneficiando diretamente mais de 120 famílias, por meio do programa “Vem com a Gente”.

Em uma extensão de 600 metros, toda a rede clandestina está sendo substituída, dando legitimidade ao consumidor, que passa a ter sua situação regularizada. A ação garante a distribuição de água de qualidade às residências, além de possibilitar a inclusão dessas famílias na Tarifa Social, que cobra um preço fixo de R$ 17,90/mês.

“Esse trabalho cumpre um item para que Manaus possa ter um saneamento à altura da metrópole fantástica que é, com vocação mundial”, disse o prefeito após caminhar por toda a extensão do igarapé que está recebendo a ampliação da rede de abastecimento, além de um trabalho de limpeza realizado pelas equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

Todas as casas da localidade receberam hidrômetros e foram cadastradas na Tarifa Social. As redes implantadas pela Águas de Manaus foram envelopadas (concretadas em uma espécie de meio-fio na altura das calçadas) e receberam pintura. Para completar o serviço, as tubulações irregulares foram removidas, dando novos ares ao local.

Outro ponto que recebeu melhorias foi o beco São Tomé. Gleucimara Monteles da Silva, 27, mora nessa área desde que nasceu e ficou muito feliz em ter a sua ligação regularizada, com a extensão da rede de abastecimento até a sua residência. “A gente está muito feliz em ver todo mundo trabalhando e dando essa oportunidade para quem precisava de uma água. Fico feliz por essa regularização e porque vou ser beneficiada a Tarifa Social”, disse.

Criado em agosto do ano passado, programa de atendimento itinerante “Vem com a Gente” já passou por dezessete bairros da cidade, estando há aproximadamente dois meses concentrado na Compensa, um dos maiores bairros da zona Oeste de Manaus. Neste período, as equipes da concessionária Águas de Manaus visitaram mais de 25 mil residências do bairro, realizando serviços como verificação de irregularidades, substituição e instalação de hidrômetros, padronização de cavaletes, reaterro de intervenções, novas ligações e extensões de redes de água tratada.

“Esse programa visa regularizar todas áreas da cidade de Manaus. E queremos levar água com qualidade, saneamento com qualidade, para todos os moradores, seja ele de uma via principal, de um rip-rap, ou de uma palafita”, afirmou o diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis.

No total, foram realizados 33.313 mil serviços, beneficiando 70 mil moradores na região. Por meio dessa ação de porta em porta, a concessionária conseguiu regularizar um total de 3.084 ligações de água tratada na Compensa, eliminando redes irregulares e garantindo água de qualidade na torneira dos moradores. Além disso, 5.107 hidrômetros foram substituídos.

Texto – Jacira Oliveira / Semcom e Assessoria da Águas de Manaus

Fotos – Alex Pazuello / Semcom
Mineração – Wilson Lima também conversou com o ministro Bento Albuquerque sobre os avanços para a exploração do potássio na região de Autazes e Maués. A reserva do Amazonas é uma das maiores do mundo e o levantamento mais atual revelou que ela pode produzir potássio durante 30 anos, o que atenderia o mercado nacional, já que o Brasil importa 70% do potássio que consome, principalmente na agricultura.

“O ministro sabe que o Amazonas vive um novo momento em que precisamos criar novas matrizes econômicas e fomentar as atividades que já existem. Discutir a questão da mineração e da geração da energia a partir do gás com ele, participando ativamente, é muito importante”, afirmou Wilson Lima.

Produção de gás – O combustível a partir do gás natural é até 50% mais barato que os demais disponíveis e já vem sendo usado como solução energética transformadora pelas principais empresas do Polo Industrial de Manaus, além de representar atratividade para novos negócios na região.

Atualmente, 43 indústrias, dentre elas Honda, Samsung, Yamaha, Ambev, Coca-Cola e Britânia, somam consumo médio de gás natural superior a 95 mil metros cúbicos por dia.

Em junho de 2019, o volume comercializado de gás natural no Amazonas foi de 4.372.560 m³/dia. Deste total, 4.269.294 m³/dia foram destinados ao segmento termoelétrico, principal consumidor do Estado, e 88.084 m³/dia às indústrias, enquanto o segmento comercial, em expansão na capital junto com o segmento residencial, teve volume de 2.347 m³/dia no período.

Atualmente, Manaus possui 120 quilômetros de rede de distribuição de gás natural da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), número em crescente ampliação com foco atual para atendimento do varejo (comércios e residenciais coletivos). Até a primeira semana de julho, 71 comércios da capital já usufruíam dos benefícios do gás natural, enquanto 231 unidades consumidoras residenciais foram atendidas.