O fundador e ex-técnico do América, Amadeu Teixeira, morreu na noite desta terça-feira (7), após ter falência múltipla de órgãos. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular na Zona Centro-Sul Manaus há cerca de três meses, após sofrer um acidente doméstico. A informação foi confirmada pela neta de Teixeira, Bruna Parente. Emocionada, ela não deu maiores detalhes sobre o falecimento do avô.

Amadeu Teixeira estava internado desde o dia 10 de setembro, três dias após ter o pulmão perfurado por uma das três costelas fraturadas em uma queda na casa onde morava.

No início de outubro, o ícone do futebol amazonense chegou a apresentar melhoras e deixou a UTI para se alojar em um apartamento da unidade hospitalar. Entretanto, ele apresentou piora, voltou para o tratamento intensivo, e faleceu por volta de 22h.

Entenda o caso

Amadeu Teixeira foi hospitalizado, pela primeira vez, no dia 7 de setembro, após sofrer um acidente doméstico e fraturar três costelas, sendo que uma delas perfurou levemente um dos pulmões. Quando já indicava melhora, foi liberaado, mas teve que refazer um dreno no órgão. Foi justamnte quando sofreu a parada cardíaca, no dia 10, foi internado na UTI. O segundo procedimento foi necessário porque a primeira drenagem não havia tido efeito e não conseguiu oxigenar o órgão.

Amadeu Teixeira e o América

Seu Amadeu Teixeira ganhou expressão e personalidade ao ficar à frente do América, como presidente e técnico por 53 anos. Os feitos de Amadeu Teixeira não passaram em branco. No ano de 2007, o treinador foi homenageado tendo seu nome vinculado ao ginásio poliesportivo mais moderno do Amazonas, com capacidade para 11.800 pessoas. Hoje, por recomendação do Ministério Público Federal, o ginásio deixou o nome de Amadeu Teixeira e passou a ser Ginásio Poliesportivo do Amazonas.

Com informações do G1